Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: do impresso ao eletrônico

  • Alegria Benchimol Museu Paraense Emílio Goeldi / MPEG
  • Maria Izabel Moreira Arruda Universidade Federal do Pará / UFPA
  • Taíse da Cruz Silva Bolsista PIBIC do Museu Paraense Emílio Goeldi
Palavras-chave: Periódico científico. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Museu Paraense Emílio Goeldi

Resumo

Este artigo descreve a trajetória do Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi (Ciências Humanas) com foco em seu formato: das origens, passando pelas alterações ocorridas ao longo de 122 anos de existência (2016) e sua passagem ao formato eletrônico. São apontadas as vantagens e desvantagens de cada formato,apresentando-se também um breve histórico sobre periódicos científicos. O estudo utilizou duas técnicas de coletas de dados: a pesquisa bibliográfica e a documental. Para complementar informações não encontradas na literatura foi realizada uma entrevista. Constatou-se, depois de finalizada a pesquisa, que o Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi está a caminho de tornar-se um periódico eletrônico, pois já apresenta atualmente algumas características deste tipo de periódico, tais como interatividade e hipertextualidade em seu site. É relevante enfatizar, que a principal desvantagem detectada, no formato impresso, foi o custo alto da impressãoem contraponto ao custo menor no formato eletrônico

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alegria Benchimol, Museu Paraense Emílio Goeldi / MPEG
Doutora em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia em convênio com a Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil.  (UFPA). Tecnologista Pleno do Museu Paraense Emílio Goeldi , Brasil. Editora associada do Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Brasil.
Maria Izabel Moreira Arruda, Universidade Federal do Pará / UFPA
Doutora em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais pela Universidade do Porto, em convênio com a Universidade de Aveiro, Portugal. Professora adjunta da Universidade Federal do Pará, Brasil.
Taíse da Cruz Silva, Bolsista PIBIC do Museu Paraense Emílio Goeldi
Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Pará, Brasil. Participação como bolsista de Iniciação Científica do Conselho Naional de Pesquisa e Desenvolvimento no Museu Paraense Emílio Goeldi, Brasil.
Publicado
2016-12-29
Como Citar
Benchimol, A., Arruda, M. I. M., & Silva, T. da C. (2016). Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: do impresso ao eletrônico. Informação & Sociedade: Estudos, 26(3). Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/view/31121
Seção
Memórias Científicas Originais