O TRABALHO DOCENTE NA ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS:

PERSPECTIVAS SOBRE A CONSTRUÇÃO DO DOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL DO CEARÁ (DCRC) PARA A BASE NACIONAL CURRICULAR COMUM (BNCC)

  • Antônio Alex Pereira de Sousa Secretaria de Educação do Ceará (SEDUC/CE)
  • Maria Veirislene Lavor Sousa Universidade de Salamanca - USAL/Espanha
  • Paulo Venício Braga de Paula
Palavras-chave: Educação Básica, Políticas Públicas, BNCC, Currículo, Ciências Humanas

Resumo

O presente artigo objetiva refletir sobre a presença e desenvolvimento do texto da Ciências Humanas na Base Nacional Curricular Comum (BNCC) do Ceará, chamada de Documento Curricular Referencial do Ceará (DCRC). Buscou-se resgatar sua história, a construção e o modo como o processo de implementação está se desenvolvendo no Ceará. Das etapas que constituem a metodologia estão a pesquisa bibliográfica, que teve como fonte documentos oficiais do Ministério da Educação e outros produzidos no Estado do Ceará, entres os quais: Constituição (1988), LDB (1996), PCNEM (1999), PCN + (2002) e, mais recentemente, DCNEM (2018), além do Escola Viva e Escola Aprendente, documentos produzidos a nível estadual, respectivamente em 2005 e 2006. Outras obras analisadas foram os livros que auxiliaram na definição dos possíveis conteúdos que estarão presentes no DCRC. Junto a ela, a pesquisa-ação também foi utilizada como estratégia metodológica de pesquisa, já que os participantes são observadores, mas também agentes do processo. Os resultados parciais decorrem das conclusões das revisões bibliográficas, que estão presentes dentro do texto da DCRC, e nos levou a reflexões e ações sobre currículo e políticas públicas para a produção da BNCC no Estado do Ceará, ainda em processo de desenvolvimento.  

Biografia do Autor

Antônio Alex Pereira de Sousa, Secretaria de Educação do Ceará (SEDUC/CE)

Doutorando e mestre em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará. Graduado em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará e especialização em Filosofia pela Universidade Estácio de Sá. Professor da Faculdade Ratio e da Secretaria de Educação do Ceará (SEDUC/CE).

Maria Veirislene Lavor Sousa, Universidade de Salamanca - USAL/Espanha

Doutoranda do Curso de Ciências Sociais da Universidade de Salamanca - USAL/Espanha. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade de Fortaleza e Mestra em Gestão de Sistemas de e-Learning pela Universidade Nova de Lisboa - PT.

Paulo Venício Braga de Paula

Mestre em Planejamento em Políticas Públicas pela Universidade Estadual do Ceará. Especialista em Informática Educativa pela Universidade Estadual do Ceará, Especialista em Administração Escolar pela Universidade Estadual Vale do Acaraú - UEVA. Licenciatura Plena em História, pela Universidade Estadual do Ceará. Professor de Nível Superior de cursos de Graduação e Pós-Graduação. Professor da Rede Pública do Estado do Ceará.

Referências

BLOOM, Benjamin S. Taxonomy of educational objectives: The classification of educational goals: Handbook I, cognitive domain. New York; Toronto: Longmans, Green, 1956.
BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Curricular Comum. Brasília, 2018.
BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Guia PNLD. Brasília, 2019. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/programas/programas-do-livro/consultas/editais-programas-livro/item/10521-pnld-2019. Acesso em: 30 ago. 2019.
BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: ciências humanas - volume 3. Brasília, 2006.
BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília, 2013.
BRASIL. Ministério da Educação, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação: PNE 2014-2024. Brasília, 2015.
BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017 – Estabelece a Lei do Novo Ensino Médio. Diário Oficial da União, Brasília, 17 fev, 2017.
BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio – Parte IV: Ciências Humanas e suas Tecnologias. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: ciências humanas - volume 3. Brasília, 2000.
BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez, 1996.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 1990.BRASIL.
BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo Escolar 2018. Brasília, 2019.
CEARÁ. Secretaria da Educação. Metodologias de Apoio: áreas de ciências humanas e suas tecnologias. Fortaleza: SEDUC, 2008. (Coleção Escola Aprendente - Volume 4).
CEARA. Secretaria da Educação. Metodologias de Apoio: matrizes curriculares para ensino médio. – Fortaleza: SEDUC, 2009. (Coleção Escola Aprendente - Volume 1)
MACEDO, Elizabeth. “A base é a base”. E o currículo é o quê?. In. A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. Recife: ANPAE, 2018, p.28-33.
SILVA, Mônica Ribeiro. A BNCC da Reforma do Ensino Médio: o resgate de um empoeirado discurso. Educação em revista, V. 34, e214130, p. 1-15.
THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-ação. São Paulo: Editora Cortez, 1986.
ARANHA, Maria Lúcia de Arruda e MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando:
introdução à filosofia. São Paulo: Ed. Moderna, 2013.
GALLO, Sílvio. Filosofia: experiência do pensamento. São Paulo: Scipione, 2013.
CHAUÍ, Marilena. Iniciação à Filosofia. São Paulo: Ática, 2014.
COTRIM, Gilberto e FERNANDES, Mirna. Fundamentos de Filosofia. São Paulo: Saraiva, 2013.
MEIER, Celito. Filosofia: por uma inteligência da complexidade. Belo Horizonte: Pax, 2014.
Publicado
2019-12-24
Seção
Dossiê especial – EM DEFESA DA FILOSOFIA