Heidegger E A Técnica Moderna Como Perigo E Como Salvação

Autores

  • Robson Costa Cordeiro

DOI:

https://doi.org/10.18012/arf.2016.18859

Palavras-chave:

Técnica, contemporaneidade, perigo, salvação

Resumo

O mundo contemporâneo é marcado por uma compreensão de técnica que se ergue como tal a partir de um sentido próprio e autônomo. Este sentido pode ser caracterizado como um logos que se constitui a partir de sua própria natureza e se manifesta como tecnologia no decorrer da história. Compreender esse sentido e assumi-lo como condição de nossa existência no mundo é comprender a técnica como nossa herança e nosso envio. Nesse sentido, compreender a essência da técnica é fundamental para o mundo contemporâneo, assumindo que, nesse processo, consiste o perigo e a salvação da espécie.

Biografia do Autor

Robson Costa Cordeiro

Professor do Departamento de Filosofia e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

BEAUFRET, Jean. Hölderlin e Sófocles. In: HÖLDERLIN, Friedrich. Observações sobre Édipo e observações sobre Antígona. Tradução de Anna Luiza Andrade Coli e Maíra Nassif Passos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

CAVALCANTE, Márcia C. de Sá. Pelos caminhos do coração. In: Reflexões: Friedrich Hölderlin, seguido de Hölderlin, tragédia e modernidade, de Françoise Dastur. Tradução de Márcia C. de Sá Cavalcante e Antônio Abranches. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

DESCARTES, René. Discurso do método. Tradução de J. Guinsburg e Bento Prado Junior. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

FOGEL, Gilvan. Martin Heidegger, et coetera e a questão da técnica moderna. In: Da solidão perfeita: escritos de filosofia. Petrópolis: Vozes, 1999.

HEIDEGGER, Martin. Erläuterungen zu Hölderlins Dichtung. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1951.

______. Vorträge und Aufsätze. Stuttgart: Klett-Cotta, 2009.

______. Sein und Zeit. Max Niemeyer Verlag. Tübingen: 2006.

______. Aclaraciones a la poesia de Hölderlin. Tradução de Helena Cortés Gabaudán e Arturo Leyte Coelho. Madrid: Alianza Editorial, 2009.

______. Carta sobre o humanismo. Tradução de Emmanuel Carneiro Leão. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1995.

______. A questão da técnica. In: Ensaios e Conferências. Tradução de Emmanuel Carneiro Leão, Gilvan Fogel, Márcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2001.

______. “...poeticamente o homem habita...” In: Ensaios e Conferências. Tradução de Emmanuel Carneiro Leão, Gilvan Fogel, Márcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2001.

HEIDEGGER, Martin. Heidegger e a política. O caso de 1933 (Entrevista-testamento de Martin Heidegger). Tradução de Emmanuel Carneiro-Leão [julho-setembro de 1977]. Rio de Janeiro: Revista Tempo Brasileiro, nr 50.

______. Língua de tradição e língua técnica. Tradução de Mário Botas. Lisboa: Veja, 1999.

______. O tempo da imagem do mundo. In: Caminhos de Floresta. Tradução de Alexandre Franco de Sá. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2002.

______. Ser e tempo. Tradução de Márcia Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2002.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. Trad. de Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1989.

ORTEGA Y GASSET, José. Meditação da técnica. Tradução de Luis Washington Vita. Rio de Janeiro: Livro ibero-americano, 1963.

ZARADER, Marléne. Heidegger e as palavras de Origem. Tradução de João Duarte. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

ZIMMERMAN, Michael E. Confronto de Heidegger com a modernidade: tecnologia, política e arte. Tradução de João Sousa Ramos. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

Arquivos adicionais

Publicado

2014-04-06

Como Citar

Cordeiro, R. C. (2014). Heidegger E A Técnica Moderna Como Perigo E Como Salvação. Aufklärung: Revista De Filosofia, 1(1), p.100–112. https://doi.org/10.18012/arf.2016.18859