Arte e existência: reflexão sobre o conteúdo da arte

  • Miguel Antonio do Nascimento UFPB
Palavras-chave: Arte, Existência, Verdade

Resumo

O presente artigo consiste em tentativa de aprofundar a compreensão filosófica do conteúdo da arte e de sua relação com o homem e com a natureza. Busca-se evidenciar que na história da filosofia vários filósofos se empenharam em mostrar como o conteúdo da arte exprime significado filosófico. Admite-se que isto se deve ao fato de que o conteúdo da arte não se desvincula da experiência de viver. Mas quando se tem de justificar o que há de comum à arte e à existência do homem e das coisas, surge a dificuldade típica que é não se poder dizer com facilidade o que é verdadeiro e o que é falso na arte e no que denominamos natureza e existência.  Para tratar desta dificuldade, o assunto é desenvolvido aqui com base em leitura de textos sobre a questão da arte e da estética. E são destacados alguns pensadores que já se ocuparam com assunto em questão.

Biografia do Autor

Miguel Antonio do Nascimento, UFPB
Professor de Filosofia na UFPB. Coordenador do PPGF-Ddoutorado da UFPB-UFRN-UFPE

Referências

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco (livro VI). Tradução de Lucas Angioni. (Dissertatio [34] 285 – 300 verão de 2011) <http://unicamp.academia.edu/LucasAngioni> Acesso em 21.02.2015.

______. Ética a Nicômacos. Tradução de Mário da Gama Kury. Brasília: Editora Universidade de Brasília, c1985, 1992, 3ª ed.

______. Poética. Edição bilingue grego-português. Tradução de Eudoro de Souza, São Paulo: Ars Poetica, 1993, 2ª ed.

BAUMGARTEN, Alexander Gottlieb. Estética. Tradução de Mirian Sutter Medeiros. Petrópolis, RJ: Vozes, 1993.

CASSIRER, Ernst. A filosofia do iluminismo. Tradução de Álvaro Cabral. Campinas: Editora da UNICAMP, 1994, 2ª ed.

COVENTRY, Angela M. Compreender Hume. Tradução de Hélio Magri Filho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

HUME, David. Do padrão do gosto. Ensaios morais, políticos e literários. Tradução de João Paulo Gomes Monteiro et al. São Paulo: Editora Abril, 1980, pp. 319-329, (Coleção Os pensadores).

KANT, Immanuel. Crítica da faculdade do juízo. Tradução de Valério Rohden e António Marques. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1993.

KLAUS, Düsing. Immanuel Kant – Iluminismo e crítica. Filósofos do século XVIII. Org. Lothar Kreimendahl. Tradução de Dankwart Bernsmüller. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2004, pp. 236-261.

KULENKAMPFF, Jens. David Hume – Uma nova ciência da natureza humana. Filósofos do século XVIII. Org. Lothar Kreimendahl. Tradução de Dankwart Bernsmüller. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2004, pp. 154-176.

NIETZSCHE, F. W. Sämtliche Werke. Kritische Studienausgabe [KSA] por G. Colli e M. Montinari. Munique/Berlim/N.Yorque: de Gruyter (dtv), 1988, volumes 4 e 12.

PLATON. La république (livro II). Texto digitalizado por Marc Szwajcer. Tradução de Victor Cousin. <http://remacle.org/bloodwolf/philosophes/platon/cousin/rep2.htm> Acesso em 05.09.2015.

______. Les lois (livro II). Texto digitalizado por J. P. Murcia. Tradução de Émile Chambry. <http://remacle.org/bloodwolf/philosophes/platon/loislivre1.htm> Acesso em 05.09.2015.

SÓFOCLES. A trilogia tebana. Tradução de Mário da G. Kury. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.

Publicado
2016-03-29
Como Citar
do Nascimento, M. A. (2016). Arte e existência: reflexão sobre o conteúdo da arte. Aufklärung: Revista De Filosofia, 2(2), p.289-310. https://doi.org/10.18012/arf.2016.27929