Atualizações do medievo no romanceiro nordestino e no Auto da Compadecida de Ariano Suassuna

  • Maria do Amparo Tavares MALEVAL UERJ
Palavras-chave: Idade Média, Romanceiro, Cultura Nordestina, Ariano Suassuna

Resumo

Como se sabe, numerosas são as marcas da literatura e da cultura medievais no Brasil, muito particularmente na Região Nordeste. Aqui, em festividades e na literatura de cordel, temas e formas do medievo são constantemente atualizados, bem como em obras de autores como João Cabral de Melo Neto e Ariano Suassuna, para só citarmos dois dos nossos escritores exponenciais. Como forma de singelamente homenagear a este último, recentemente falecido, pretendo retomar algumas considerações em torno do aproveitamento de romances por ele realizado de forma recorrente. Poemas épico-líricos breves, foram documentados, na Península Ibérica, tendo por base a tradição oral, em recolhas feitas a partir dos séculos XIV-XV e, trazidos pelos colonizadores, perpetuados por nossos cantadores que, como nas origens medievas, os aliaram à música. Dentre os numerosos romances revitalizados por Suassuna em suas obras interessa-me sobretudo “O castigo da soberba”, que aparece nas epígrafes do famoso Auto da Compadecida, sendo, pois, uma das suas fontes manifestas. Recriado na parte principal da peça, quando Maria demonstra a sua compaixão pelas fraquezas humanas, filia-se a uma longa tradição de milagres marianos documentados no medievo e que, colocados em confronto, nos permitem observar inclusive aspectos depreciadores do gênero feminino no tocante ao sagrado, perpetrados no correr dos tempos.

Referências

AFONSO X, o Sábio. Cantigas de Santa Maria. Ed. crítica de Walter Mettman.

ALCOFORADO, Doralice F. X, ALBÀN, Maria del Rosário S. (Orgs.). Romanceiro ibérico na Bahia. Salvador: Livraria Universitária, 1996.

BARROS, Leandro Gomes de. O cavalo que defecava dinheiro. 3. Ed. Fortaleza: Tupynanquim Editora / ABC – Academia Brasileira de Cordel, 2003.

_______. O dinheiro (O testamento do cachorro). Seguido de O casamento do sapo. Fortaleza: Tupynanquim Ed., 2005.

BERCEO, Gonzalo de.Milagros de Nuestra Señora. 4. ed. Edición y notas de A G. Solalinde. Madrid: Espasa-Calpe, 1952.

BÍBLIA de Jerusalém (A) [1981]. São Paulo: Edições Paulina.

COINCY, Gautier de. Les miracles de la Sainte Vierge. Publiés par M. l’Abblé Roquet. Geève: Statkine Reprints, 1972.

FILGUEIRA VALVERDE, José. Cantigas de Santa Maria. Introd., versión cast. y coment. Madrid: Editorial Castalia, 1985.

GARRETT, Almeida. Romanceiro. Obras. 2 vols.. Porto: Lello & Irmão Editores, 1966. Vol. I, p. 1811-1944; vol. II p. 677-1064.

LEÃO, Ângela Vaz. A presença de São Tiago nas Cantigas de Santa Maria. In MALEVAL, Maria do Amparo Tavares (Org.). Atualizações da Idade Média. Rio de Janeiro: Ágora da ilha, 2000, p. 35-49.

LIBER SANCTI JACOBI – Codex Calixtinus (1998a). Transcrição a partir do códice original por Klaus Herbers e Manuel Santos Noia. Santiago de Compostela: Xunta de Galicia.

LIBER SANCTI JACOBI – “Codex Calixtinus” (1998b). Tradução e notas de A Moralejo, C. Torres, J. Feo. Reedição preparada por X. Carro Otero. Santiago de Compostela: Xunta de Galicia.

MALEVAL, Maria do Amparo Tavares. O TEATRO. Gil Vicente. MOISÉS, Massaud (Org.). A literatura portuguesa em perspectiva. Vol. I – Trovadorismo. Humanismo. São Paulo: Editora Atlas, 1992, p. 167-190.

_______. Peregrinação e poesia. Rio de Janeiro: Ed. Ágora da Ilha, 1999.

_______. Tradição medieval e brasilidade no teatro nordestino. Estudos galego-brasileiros 2. A Coruna: Universidade da Corunha, 2005, p. 183-208.

MARTINS, Mário. Peregrinações e Livros de Milagres na nossa Idade Média. 2 ed. Lisboa: Brotéria, 1957.

MENÉNDEZ PIDAL, Ramón. Flor nueva de romances viejos. 6. Ed. Buenos Aires: Espasa-Calpe, 1946.

MOTA, Leonardo. Violeiros do Norte. Poesia e linguagem do sertão nordestino. Prefácio de Herman Lima. 7 ed. Rio, São Paulo, Fortaleza; ABC Editora, 2002.

MÚSICA ANTIGA DA UFF. Medievo-Nordeste. Cantigas e romances. Cd, Niterói, RJ, 2004.

PONTES, Roberto. Cristalização estética como polimento na literatura e na cultura. In PONTES, Roberto, MARTINS, Elizabeth (Orgs.). Residualidade ao alcance de todos. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2015, p. 111-124.

SANTOS, I. M. F. dos. Em demanda da poética popular. Ariano Suassuna e o Movimento Armorial. Campinas: Ed. da Unicamp, 1999.

SUASSUNA, Ariano. “A Compadecida e o Romanceiro nordestino”. In Literatura popular em versos  Estudos. Rio de Janeiro: MEC / Fundação Casa de Rui Barbosa, 1973. P. 153-164.

________. Auto da Compadecida. 25. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1990.

________, MONGELLI, Lênia Márcia de Medeiros. Ariano Entrevista (Suassuna entrevistado por Lênia Márcia Mongelli). Signum 6: p. 211-239, 2004.

Publicado
2016-01-11
Como Citar
MALEVAL, M. DO A. T. Atualizações do medievo no romanceiro nordestino e no Auto da Compadecida de Ariano Suassuna. Revista Graphos, v. 17, n. 2, p. 16-26, 11 jan. 2016.