A retomada indígena dos territórios do saber: The Thunderbird Poems, de Armand Garnet Ruffo

Autores

  • Rubelise da Cunha Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2019v28n1.49876

Palavras-chave:

Literatura Indígena, Armand Garnet Ruffo, Performance, Saberes Ameríndios

Resumo

Neste artigo, analiso The Thunderbird Poems (2015) de Armand Garnet Ruffo como um ato compartilhado de retomada cultural e territorial, através do qual, como Ruffo afirma em seu ensaio “Why Native literature?” (1997), a literatura indígena se dirige “Aos próprios indígenas a fim de que possam se empoderar e curar através da história real” (p. 143). Ruffo descreve seu trabalho poético como o resultado de uma parceria compartilhada com Norval Morrisseau, já que os poemas surgem após os encontros que teve com o artista, nos quais ouvia sua história de vida incorporada na biografia Norval Morrisseau: Man Changing into Thunderbird (2018). A leitura poética que Ruffo faz do quadro de Morrisseau The Land (1976), que se intitula “The Land (Land Rights)”, exemplifica como a parceria entre o artista plástico e o poeta, ambos pertencentes ao povo Anishinaabe, transforma seus trabalhos artísticos em uma performance coletiva de retomada dos saberes indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-17

Como Citar

DA CUNHA, R. A retomada indígena dos territórios do saber: The Thunderbird Poems, de Armand Garnet Ruffo . Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismos e Sexualidades, [S. l.], v. 28, n. 1, p. 17–26, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2019v28n1.49876. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/49876. Acesso em: 29 jul. 2021.

Edição

Seção

Literatura indígena, pensamento decolonial e gênero