A homofobia contra o professor “primário” do sexo masculino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8214.2021v31n1.54497

Palavras-chave:

discriminação de gênero; professores; homem; homofobia.

Resumo

Este artigo apresenta um estudo comparativo sobre o professor do sexo masculino que trabalha no ensino público do “ensino primário” do Rio de Janeiro - Brasil e em Aveiro - Portugal. O que se pretendeu averiguar, fundamentalmente, foram os motivos e as consequências da escolha profissional destes professores que se enveredam por uma área tipicamente associada com o feminino, uma associação tão forte que estes professores parecem um “corpo estranho” no cotidiano das escolas públicas “primárias”. Utilizamos a metodologia de investigação quantitativos e qualitativos de acordo com um modelo multimodal e misto de investigação que converge tais enfoques aproveitando as suas vantagens, foram aplicados questionários e realizadas entrevistas narrativas. A pesquisa tem base em uma amostra de 209 professores do ensino público que responderam anteriormente a um questionário (objetivo e subjetivo), 60 do Distrito de Aveiro (Portugal) e 149 do Estado do Rio de Janeiro (Brasil), bem como em entrevistas com seis professores escolhidos ao acaso, 3 professores no Brasil e 3 em Portugal com diferentes faixas etárias. Percebemos que estes professores são homens que estão na escola repensando os papéis masculinos e femininos nas profissões e, por estar introduzindo mudanças nos papéis de gênero, acabam por sofrer muitas discriminações, uma delas é a homofobia contra este professor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-11

Como Citar

RABELO, A. O. A homofobia contra o professor “primário” do sexo masculino . Revista Ártemis, [S. l.], v. 31, n. 1, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.1807-8214.2021v31n1.54497. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/artemis/article/view/54497. Acesso em: 27 jan. 2022.