Detecção de Cryptosporidium parvum em alfaces frescas para consumo cru. Estudo de caso: Teresópolis, Rio de Janeiro, Brasil

Autores

  • Cassia R. A. Pereira
  • Aldo P. Ferreira
  • Rosalina J. Koifman

Resumo

A criptosporidiose humana surgiu como importante infecção gastrintestinal como resultado da ingestão de vegetais in natura ou contato de pessoa a pessoa, ambos contaminados pelo Cryptosporidium parvum. Este patógeno tem especial significado clínico por causar um quadro diarréico profuso, em pessoas imunodeprimidas, incluindo pacientes com AIDS e pacientes com câncer que recebem quimioterápicos sob regimes tóxicos medicamentosos. O emprego de água contaminada, não potável, para a produção de hortaliças, especialmente alface, pode representar importante fonte potencial de sua presença. Este artigo analisou a incidência de C. parvum em alface frescas para consumo cru, através de estudo de caso em Teresópolis, RJ, Brasil. Conclui-se que a ingestão de hortaliças contaminadas por estruturas parasitárias é uma via importante de transmissão de enteroparasitoses, necessitando a adoção de medidas, por parte dos órgãos de vigilância sanitária, que resultem em uma melhoria da qualidade higiênica desses produtos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-10-20

Como Citar

PEREIRA, C. R. A.; FERREIRA, A. P.; KOIFMAN, R. J. Detecção de Cryptosporidium parvum em alfaces frescas para consumo cru. Estudo de caso: Teresópolis, Rio de Janeiro, Brasil. Gaia Scientia, [S. l.], v. 2, n. 2, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/2545. Acesso em: 18 jan. 2022.

Edição

Seção

New Section Title Here