O adoecimento docente decorrente de uma vasta desvalorização do magistério

Autores

  • Lívia Vitória Silva Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Carla Velasco Ferreira Fulgêncio
  • Fernanda Pereira Calabar

Palavras-chave:

desvalorização docente, baixa remuneração, adoecimento mental

Resumo

O presente artigo tem como finalidade evidenciar a desvalorização da profissão docente no contexto brasileiro e suas possíveis causas e consequências, bem como salientar a baixa remuneração dos profissionais, a intensificação do trabalho, a forte presença de mulheres no magistério e a tendência à maternização da educação. Além disso, por meio deste texto, procura-se fazer uma investigação acerca do adoecimento provindo da área geográfica de atuação, a qual, partindo de uma perspectiva socioeconômica, permite sinalizar a realidade de professores que trabalham em ambientes marcados pela violência. Para atingir esses objetivos, foi utilizada a revisão literária sobre os temas pesquisados e analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, K.; PIMENTEL, A. A educação como produto do capital: a improvável formação humana. Editora Realize, III Congresso Nacional de Educação, n.d.

BASTOS, J. O mal-estar docente, o adoecimento e as condições de trabalho no exercício do magistério, no ensino fundamental de Betim/MG. MG, UFMG, Belo Horizonte, 2009.

CARRASQUEIRA, K.; KOSLINSKI, M. Abandono docente na rede municipal de educação do Rio de Janeiro. Educação em Revista, v. 37, 2021.

EVANGELISTA, O. Faces da tragédia docente no Brasil. Educação e Serviço Social: subsídios para uma análise crítica. Rio de Janeiro: Lumen Juris, p. 01-17, 2017.

LOURO, G. Mulheres na sala de aula. In: DEL PRIORI, Mary (org.) História das mulheres no Brasil. 9ª ed. São Paulo: Contexto, 2009.

MOREIRA, D.; RODRIGUES, M. Saúde mental e trabalho docente. Estud. psicol. (Natal), Natal, v. 23, n. 3, p. 236-247, set. 2018.

OLIVEIRA, L.; SILVA, L. Burnout docente na educação básica: um olhar para os fatores de risco e prevenção apontados pela literatura. Scientia Generalis, v. 2, p. 271-280, 2021.

PRIGOL, E.; BEHRENS, M. Educação Transformadora: As interconexões das teorias de Freire e Morin. Revista Portuguesa de Educação, [S. l.], v. 33, n. 2, p. 5–25, 2020.

SANTANA, R.; SANTOS, A.; FERNANDES, R.; CASTRO, R.; RAMOS, R. Educação e a formação humana: Um estudo sobre a concepção de emancipação nos espaços educacionais / Education and human development: A study on the concept of emancipation on educational spaces. Brazilian Journal of Development, [S. l.], v. 6, n. 7, p. 42282–42299, 2020.

SANTOS, C. Prevalência de riscos psicossociais na categoria profissional docente: O caso dos professores da Escola EB 2, 3/S de Ourique. 2018. Dissertação (Mestrado em Segurança e Higiene no Trabalho) – Escola Superior de

Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Beja, Beja, Portugal, 2018.

SANTOS, W. Uma reflexão necessária sobre a profissão docente no Brasil, a partir dos cinco tipos de desvalorização do professor. Sapere Aude, p. 349-358, 2015.

SOUZA, J.; BRASIL, M.; NAKADAKI, V. Desvalorização docente no contexto brasileiro: entre políticas e dilemas sociais. Ensaios Pedagógicos, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 59–65, 2018.

TRIGO, T.; TENG, C.; HALLAK, J. Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo), v. 34, p. 223-233, 2007.

VIEGAS, M. Trabalhando todo o tempo: sobrecarga e intensificação no trabalho de professoras da educação básica. Educação em Revista, v. 48, 2022.

Downloads

Publicado

2024-05-15

Como Citar

SILVA, L. V.; VELASCO FERREIRA FULGÊNCIO, C.; PEREIRA CALABAR, F. O adoecimento docente decorrente de uma vasta desvalorização do magistério. Revista Educare (Online), [S. l.], v. 10, p. 1–25, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/educare/article/view/67947. Acesso em: 22 jun. 2024.