Retenção e evasão na educação superior: o caso do curso de Engenharia Civil da Universidade Federal da Paraíba

Autores

Palavras-chave:

Evasão; Retenção; Educação Superior; Engenharia Civil.

Resumo

O presente artigo apresenta resultados de uma pesquisa que teve por objetivo explorar os fatores que influenciam a retenção e a evasão de discentes do curso de graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal da Paraíba durante o período 2013 a 2022. O referencial teórico está fundamentado em discussões sobre os principais conceitos e fatores desses fenômenos e para isso, recorreremos a Mancebo (2015), Silva Filho et al. (2007), Cardoso (2008) e também ao Relatório da Comissão Especial do Ministério da Educação (1997), dentre outros. A pesquisa é um estudo de caso de abordagem qualitativa e quantitativa com característica descritiva. O intervalo delimitado permitiu analisar dezoito períodos letivos entre 2013.1 a 2021.2. A coleta de dados foi realizada por meio de questionários aplicados a estudantes que evadiram e aos que estavam em situação de retenção prolongada. Além disso, foram realizadas entrevistas com docentes que ministravam aulas para o curso. A análise dos dados foi baseada na técnica de análise de conteúdo de Bardin. Como resultado, verificou-se que a evasão se trata, na maioria dos casos, de evasão aparente e que as principais causas são decorrentes da falta de interesse pelas disciplinas e/ou pelo curso (60,5%), falta de adaptação (53,5%) e por descontentamento com o curso escolhido (51,2%). Quanto aos discentes retidos, viu-se que a maioria está cursando entre o 10º ao 11º período letivo, e as causas para a retenção estão relacionadas a fatores como: o curso ser em horário integral (57,1%), a desvalorização e a falta de perspectivas com a profissão (47,6%), e também a situações decorrentes da Pandemia de Covid-19 (58%).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Dias dos Santos, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Políticas Públicas, Gestão e Avaliação da Educação Superior, pela Universidade Federal da Paraíba. Possui especialização em Gestão Pública pela Faculdade Educacional da Lapa, FAEL (2019) e graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal da Paraíba, UFPB (2013).

Maria da Salete Barboza de Farias, Universidade Federal da Paraíba

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB (1978), graduação em Licenciatura em Psicologia pela UFPB (1982), Formação de Psicólogo pela UFPB (1983); especialização em Pesquisa Educacional -UFPB (1987), mestrado em Educação pela UFPB (1994) e doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE (2006). Pós doutorado (estágio senior) com instância na Universidade Federal de Goiás -UFG e Universidad de Valência (2018). Atualmente é professora Titular da UFPB com atuação na graduação e na pós-graduação (PPGAES). Tem experiência na área de Educação Básica e Superior, atuando nos seguintes temas: políticas educacionais; acesso e permanência; gestão educacional; Foi vice-presidente da ANPAE- Regional Nordeste (2011-2013 e 2013-2015). É associada à ANPED, ANPAE e SBEC. Atualmente é vice-diretora estadual da ANPAE.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Comissão Especial de Estudos sobre a Evasão nas Universidades Públicas Brasileiras. Diplomação, Retenção e Evasão nos Cursos de Graduação em Instituições de Ensino Superior Públicas. Brasília:

ANDIFES/ABRUEM/SESU/MEC. 1996. Disponível em: https://www.andifes.org.br/wp-content/files_flutter/Diplomacao_Retencao_Evasao_Graduacao_em_IES_Publicas-1996.pdf. Acesso em: 05 fev. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 111, de 4 de fevereiro de 2021. Confere a renovação de reconhecimento do curso de graduação. Brasil, 2021. Disponível em: https://emec.mec.gov.br/emec/consulta-cadastro/detalhamento/d96957f455f6405d14c6542552b0f6eb/NTc5/c1b85ea4d704f246bcced664fdaeddb6/RU5HRU5IQVJJQSBDSVZJTA==. Acesso em: 20 ago. 2022.

CARDOSO, Claudete Batista. Efeitos da política de cotas na Universidade de Brasília: uma análise do rendimento e da evasão. 2008. 123 p. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: https://www.repositorio.unb.br/handle/10482/1891. Acesso em: 13 jun. 2022.

CAETANO, Fernanda de Oliveira Souza. A evasão no primeiro ciclo do Bacharelado em Ciências Exatas da UFJF. Dissertação de Mestrado Profissional, 2020. Disponível em: http://mestrado.caedufjf.net/a-evasao-no-primeiro-ciclo-do-bacharelado-em-ciencias-exatas-da-ufjf/ Acesso em: 13 mar. 2022

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Sinopses Estatísticas da Educação Superior, 2002 a 2020. Brasília: Inep. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/areas-de-atuacao/pesquisas-estatisticas-e-indicadores/censo-da-educacao-superior/resultados Acesso em: 03 jul. 2022

LIMA JÚNIOR, Paulo et al. Taxas longitudinais de retenção e evasão: uma metodologia para estudo da trajetória dos estudantes na educação superior. Ensaio: aval. pol. públ. educ. 27 (102) 2019. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362019000100157&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 13 jun. 2022.

MANCEBO, Deise. Políticas de educação superior. In: SILVA JÚNIOR, João dos Reis; SOUSA, José Vieira de; AZEVEDO, Mário Luiz Neves de; CHAVES, Vera Lúcia Jacob (Org.). Educação superior: internacionalização, mercantilização e repercussões em um campo de disputas. Belo Horizonte, MG: Fino Traço, p. 141-161, 2015

PEREIRA, Alexandre Severino. Retenção discente nos cursos de graduação presencial da UFES. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Gestão Pública. Universidade Federal do Espírito Santo, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufes.br/handle/10/2471. Acesso em: 12 abr. 2022

SAMPAIO, Helena. Evolução do ensino superior brasileiro, 1808-1990. NUPES/USP, São Paulo, 1991. Disponível em: Acesso em: 01 abr. 2022.

SCHIRMER, Sirlei Nadia; TAUCHEN, Gionara. Políticas públicas de enfrentamento da evasão na educação superior brasileira: um estudo do estado da arte. Revista @mbienteeducação, [S.l.], v. 12, n. 3, p. 316-341, set. 2019. ISSN 1982-8632. Disponível em: <http://publicacoes.unicid.edu.br/index.php/ambienteeducacao/article/view/782>. Acesso em: 24 fev. 2022.

SILVA FILHO, R. L. L.; MOTEJUNAS, P. R., HIPOLITO, O.; LOBO, M. B. C. M. A evasão no ensino superior brasileiro. Cad. Pesqui., São Paulo, v.37, n.132, p.641-659, 2007.

SILVA, Roberta Oliveira Mattos da. Retenção e evasão nas disciplinas iniciais ofertadas pelo Departamento de Matemática da UFJF, 2020. Dissertação de mestrado. Disponível em: https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/11882. Acesso em: 13 mar. 2022.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (UFPB). Resolução nº 29/2020. Aprova o Regulamento Geral de Graduação da Universidade Federal da Paraíba, e revoga a resolução nº 16/2015. João Pessoa, 2020. Disponível em: https://www.ufpb.br/aci/contents/documentos/resolucoes/REGULAMENTOGERALDAGRADUAO292020.pdf/view. Acesso em: 30 jan. 2022.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (UFPB). Coordenação do curso de graduação em engenharia civil, 2016. Site institucional. Disponível em: http://ct.ufpb.br/ccec Acesso em: 06 jul. 2022.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (UFPB). Observatório de Dados da Graduação, 2022. Disponível em: https://metabase.ufpb.br/public/dashboard/fb949a9e-8cfe-4a20-bdf1-dec01acfad7d Acesso em: 02 fev. 2023

VASCONCELOS, A. L. F. de S.; SILVA, M. N. da. Uma investigação sobre os fatores contribuintes na retenção dos alunos no curso de ciências contábeis em uma IFES: um desafio à gestão universitária. Registro Contábil, v. 2, n. 3, p. 21-34, 2012.

Downloads

Publicado

2024-05-14

Como Citar

DIAS DOS SANTOS, D.; BARBOZA DE FARIAS, M. da S. Retenção e evasão na educação superior: o caso do curso de Engenharia Civil da Universidade Federal da Paraíba. Revista Educare (Online), [S. l.], v. 10, p. 1–20, 2024. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/educare/article/view/70172. Acesso em: 22 jun. 2024.