Cenas dos próximos capítulos: as influências da tradição do folhetim na minissérie para televisão Presença de Anita

  • Jhonatan Leal da Costa Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar de que maneira a minissérie Presença de Anita, exibida pela Rede Globo em agosto de 2001 ao longo de dezesseis capítulos, distancia-se do romance homônimo de Mário Donato para reforçar a tradição do folhetim. A minissérie Presença de Anita trouxe para o grande público a descoberta de um romance e de um escritor que acabou sendo injustiçado e esquecido na/pela história da literatura brasileira. Após o sucesso da adaptação de Manoel Carlos, os livros de Mário Donato, anteriormente fora de circulação nas livrarias, voltaram a ser publicados. Isso posto, para esse trabalho, em um primeiro momento, apresentaremos um breve contexto histórico e teórico a respeito do folhetim, da radionovela, da telenovela, e da minissérie, nos guiando, principalmente, pelas pesquisas desenvolvidas por Marlyse Meyer (1996), Renato Ortiz (1991), Dominique Woton (1990) e Renata Pallottini (2012). Em seguida, analisaremos, através da minissérie Presença de Anita, como se deu a tradução do romance de Mário Donato para o formato do folhetim televisivo. Nas considerações finais, ofereceremos achados que nos farão compreender de que maneira o referido folhetim de Manoel Carlos, além de estabelecer vínculos com a alta cultura, funciona como um importante construto para a discussão de temas, a representação de tipos, e a disseminação de estilos e formas que, desde sua origem, tem muito de Brasil.

Referências

CAMPEDELLI, Samira Youssef. A telenovela. São Paulo: Editora Ática, 2001.

CANDIDO, Antonio. Nota prévia. In: MEYER, Marlyse. Folhetim: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 13-16.

CARLOS, Manoel. Presença de Anita: roteiro de minissérie para televisão baseado em romance homônimo de Mário Donato. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

DONATO, Mário. Presença de Anita. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

FIGUEIREDO, Ana Maria C. Teledramaturgia brasileira: arte ou espetáculo? São Paulo: Paulus, 2003.

HUIZINGA, Johan. Homo ludens. São Paulo: Editora Perspectiva, 2000.

MELO, José Marques de. As telenovelas da Globo: produção e exportação. São Paulo: Summus, 1988.

MEYER, Marlyse. Folhetim: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

ORTIZ, Renato. Telenovela: história e produção. São Paulo: Brasiliense, 1991.

PALLOTTINI, Renata. Dramaturgia de televisão. São Paulo: Editora Perspectiva, 2012.

RIGHINI, Rafael Roso. A trilha sonora da telenovela brasileira. São Paulo: Paulinas, 2004.

STAM, Robert. A literatura através do cinema: realismo, magia e a arte da adaptação. Tradução: Marie-Anne Kremer e Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: EDUFMG, 2008.

STAM, Robert. Teoria e prática da adaptação: da fidelidade à intertextualidade. Ilha do desterro, Florianópolis, n. 51, p. 9-17, jul./dez. 2006.

TÁVOLA, Arthur da. A telenovela brasileira. São Paulo: Editora Globo, 1996.

WOTON, Dominique. Elogio do grande público: uma teoria crítica da televisão. São Paulo: Editora Ática, 1990.

Publicado
2018-07-02
Como Citar
COSTA, J. L. DA. Cenas dos próximos capítulos: as influências da tradição do folhetim na minissérie para televisão Presença de Anita. Letras & Ideias, v. 2, n. 1, p. 19-34, 2 jul. 2018.
Seção
Artigos