Reescrita de si face ao inquietante: o duplo como sintoma através do desejo em A alma trocada, de Rosa Lobato de Faria

Resumo

No enfrentamento à afirmação erótica de seu desejo homossexual, tanto íntimo quanto social, Teófilo, personagem central do romance A alma trocada, expressa reflexões que vão desde dualidades metafísicas que justificassem a gênese de seu ser interior, passando por monólogos que tentam solucionar um suposto self dual que lhe é inescapável, nas tensões entre alteridade e identidade, até lidar com a persistência dos padrões duplos na tradição familiar que lhe força a laços conjugais heteronormativos. Partindo das contribuições psicanalíticas de Rank (2013 [1914]) e Freud (1996 [1919]) que articulam os conceitos de duplo e de inquietante, nossa leitura se dedica a pensar sentidos outros ao desejo, a partir da presença de um sintomático intruso na trama e diante dos vestígios que o protagonista lança em sua trajetória de re-descoberta de si.

Referências

BARTHES, Roland. O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BOURDIEU, Pierre. Uma imagem ampliada. In: BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012. p. 13-67.

BUTLER, Judith. Gender Trouble. Nova Iorque: Routledge, 1990.

BUTLER, Judith. Undoing Gender. Nova Iorque: Routledge, 2004.

FERRARI, Anderson. Quem sou eu? Que lugar ocupo?: grupos gays, educação e a construção do sujeito homossexual. 2005. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Unicamp, Campinas, SP, 2005.

FOUCAULT, Michel. A coragem da verdade. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FOUCAULT, Michel. Da amizade como modo de vida. In: FOUCAULT, Michel. Repensar a política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010. p. 348-353. (Ditos e Escritos, VI)

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 1: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Vega, 1992. (Coleção Passagens)

FOUCAULT, Michel. O uso dos prazeres e as técnicas de si. In: FOUCAULT, Michel. Ética, política e sexualidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004. p. 192-217. (Ditos e Escritos, V)

FREUD, Sigmund. O estranho. In: FREUD, Sigmund. Uma neurose infantil e outros trabalhos (1917-1918). Rio de Janeiro: Imago, [1919] 1996. p. 273-318. (Obras psicológicas completas de Sigmund Freud: edição standard brasileira, v. XVII)

LOBATO DE FARIA, Rosa. A alma trocada. Lisboa: Edições Asa, 2007.

MAFFESOLI, Michel. O mistério das conjunções. Porto Alegre: Sulina, 2009.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

MIGNOLO, Walter. Histórias locais / projetos globais. Belo Horizonte: EdUFMG, 2003.

MOISÉS, Massaud. A análise literária. São Paulo: Cultrix, 2007.

PITTA, Eduardo. Fractura: a condição homossexual na literatura portuguesa. Coimbra: Angelus Novus, 2003.

PLATÃO. Fedro, Cartas, O primeiro Alcibíades. Belém: EdUFPA, 2007.

QUINTAS, Pedro Manuel Pereira. Introdução. In: QUINTAS, Pedro Manuel Pereira. Heteronormatividade no contexto dos cuidados da saúde: atitudes dos profissionais de enfermagem em razão da orientação sexual do utente. 2008. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado em Bioética, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto/Lisboa, 2008. p. 1-11.

RANK, Otto. O duplo: um estudo psicanalítico. Porto Alegre: Dublinense, [1914] 2013.

RICH, Adrienne. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas, Natal, v. 4, n. 5, p. 17-44, 2010.

ROUDINESCO, Élisabeth. Our dark side: a history of perversion. Cambridge: Polity Press, 2009.

SOUSA FILHO, Alipio. A política do conceito: subversiva ou conservadora? crítica à essencialização do conceito de orientação sexual. Bagoas, Natal, v. 3, n. 4, p. 59-78, 2009.

SOUSA FILHO, Alipio. The ideology of compulsory heterosexuality and the abiding pathologization of homosexuality: is it possible to have authentic recognition without the concepts of freedom and choice? LES Online, Lisboa, v. 6, n. 1, p. 38-44, 2014.

Publicado
2018-12-28
Como Citar
Madeiros, E. (2018). Reescrita de si face ao inquietante: o duplo como sintoma através do desejo em A alma trocada, de Rosa Lobato de Faria. Letras & Ideias, 2(2), 168-180. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/letraseideias/article/view/46335
Seção
Artigos