Becos da memória, de Conceição Evaristo

uma escrevivência da memória da mulher negra no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2595-7295.2019v3n1.48303

Resumo

Em Becos da memória diversas histórias se entrelaçam contando do dia a dia numa favela prestes a ser destruída na área central de Belo Horizonte. O olhar da protagonista Maria-Nova prevalece no texto, embora a narrativa se apresente por vezes em terceira pessoa conte sobre a vida das outras personagens. É a Maria-Nova que as pessoas da favela recorrem para contar suas memórias. Essas camadas variadas de memórias e vivências (tanto ouvidas, como vividas) que ela cria na escrita, formam uma subjetividade multifacetada de uma jovem mulher melancólica que sofre com o processo de desfavelamento. A partir desse texto, pensa-se de que forma se constrói a memória da/s mulher/es negras do Brasil, num contexto urbano de pobreza e marginalização dos anos 1980. As memórias de Maria-Nova são o recurso através do qual a escrevivência – conceito teórico-literário de Conceição Evaristo – se apresenta no texto literário: as mulheres negras estão inscritas a partir de suas vozes, com suas verdades, venturas e desventuras, longe dos estereótipos presentes em textos da literatura nacional. No presente artigo, objetivo discutir a escrevivência e a escrita de si em diálogo com o texto literário, percebendo os efeitos desse contar na construção de uma história e historiografia literária alternativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliza de Souza Silva Araujo, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Letras na Universidade Federal da Paraíba. Atua na área de concentração Literatura, Teoria e Crítica e na linha de pesquisa Estudos Culturais e de Gênero, sob orientação da Profa. Dra. Liane Schneider.

Referências

ANDERSON, Linda. Autobiography: the new critical idiom. 2a. Ed. New York: Rouledge, 2011.

DRAKE, Kimberly. Rewriting the American self: race, gender and identity in the autobiographies of Frederick Douglass and Harriet Jacobs. IN: MELUS. Vol 22. No. 4. 1997.

EVARISTO, Conceição. Becos da memória. 1ª. Ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

______________. Da construção de Becos. IN: EVARISTO, C. Becos da memória. 1ª. Ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

______________. Gênero e etnia: uma escre(vivência) de dupla face. IN: MOREIRA, Nadilza M de B; SCHNEIDER, Liane (Orgs.). Mulheres no mundo: etnia, marginalidade e diáspora. João Pessoa: Idéia, 2005.

KLINGER, Diana. Escritas de si, escritas do outro: o retorno do autor e a virada etnográfica. 3ª. Ed. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2012.

MIRANDA, Adelaide C. Memória e cidade na narrativa brasileira contemporânea de autoria feminina. IN: DALCASTAGNÈ, Regina; LEAL, Virgínia Maria Vasconcelos. Espaço e gênero na literatura brasileira contemporânea. Porto Alegre: Zouk, 2015.

SANTOS SOUZA, Neusa. Tornar-se negro ou as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. 2ª. Ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1983.

SCHMIDT, Simone P. Posfácio: a força das palavras, da memória e da narrativa. IN: EVARISTO, C. Becos da memória. 1ª. Ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

RAGO, Luzia Margareth. Introdução. IN: RAGO. Luzia M. A aventura de contar-se: feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

Downloads

Publicado

2019-07-25

Como Citar

ARAUJO, E. de S. S. Becos da memória, de Conceição Evaristo: uma escrevivência da memória da mulher negra no Brasil. Letras et Ideias, João Pessoa, PB, v. 3, n. 1, p. 13–29, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2595-7295.2019v3n1.48303. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/letraseideias/article/view/48303. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Tendências contemporâneas de autoria feminina