O que nos contam nossos delírios sobre a nossa própria história?

notas sobre o conto "O delírio", de Clarice Lispector

  • Marcíllia Poncyana Félix Bezerra Universidade Federal da Paraíba

Resumo

O conto “O delírio”, de Clarice Lispector, de 1940, relata uma noite insone de um homem, sem nome, onde se apresenta o delírio por ele construído. A narrativa traz a passagem de apenas uma noite, vislumbrando toda uma conjuntura da história daquele homem, que por não apresentar nome na história, talvez tente dizer disso através das suas elaborações de delírio. Os elementos “escolhidos” são de grande importância para a complexidade do delírio, como a terra, a luz, assim como a febre e as dores que acometem o protagonista. O enredo se encerra quando o homem se dispõe a escrever sobre a noite e os elementos. A psicanálise, nesse trabalho à luz de Freud e Lacan, nos coloca a refletir sobre a construção de um delírio, compondo a história de cada sujeito e fazendo inferências na sua própria realidade, sustentando suas faltas.

Publicado
2019-12-30
Como Citar
BEZERRA, M. P. F. O que nos contam nossos delírios sobre a nossa própria história?. Letras & Ideias, v. 3, n. 2, p. 170-179, 30 dez. 2019.
Seção
Dossiê: Interdiálogos entre Psicanálise e Literatura