O processo de construção do Eu a partir da presença do outro nos contos de Julio Cortázar e de Milton Hatoum

  • Cristiane de Mesquita Alves Universidade da Amazônia

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o processo de construção do Eu na perspectiva do olhar e da presença do Outro a partir das considerações das memórias dos narradores dos contos Final do Jogo (2016), do escritor naturalizado argentino Julio Cortázar, por meio de um estudo de Literatura Comparada ao conto Uma estrangeira da nossa rua (2009) do manauara Milton Hatoum, elencados com o fim de explicar de que forma a presença da outridade influencia constantemente, na inquietante formação das identidades dos protagonistas dos relatos no decorrer da juventude, marcada pelo medo, pelas condições sociais, físicas e psicológicas distorcidas e irreversíveis. E, para entrelaçar esse discurso, o método de análise escolhido foi o de Literatura Comparada de Remak, Pichois & Rousseau (2011), os conceitos de identidade de Bauman (2005), Bicca (1999) e Quinet (2015) em relação à outridade, Vasconcelos (2013) para explicar as vertigens do eu no processo de construção do eu-identitário esperado pela aceitação do Outro, Candau (2016) e Halbwachs (2013) no que concerne à memória individual e à coletiva, além de contribuições de Freud (2010, 2016), para explicar o processo de formação narcísica das personagens literárias escolhidas para a discussão neste trabalho.

Biografia do Autor

Cristiane de Mesquita Alves, Universidade da Amazônia

PROSUP/CAPES

Publicado
2019-12-30
Como Citar
ALVES, C. DE M. O processo de construção do Eu a partir da presença do outro nos contos de Julio Cortázar e de Milton Hatoum. Letras & Ideias, v. 3, n. 2, p. 199-211, 30 dez. 2019.
Seção
Dossiê: Interdiálogos entre Psicanálise e Literatura