CRÍTICA À NOÇÃO DE EMANCIPAÇÃO EM HABERMAS

  • Matheus Maria Beltrame Grupo Hermes - UFPB Conselho Editorial - Editor Problemata - Revista Internacional de Filosofia
Palavras-chave: Emancipação, Racionalidade, Habermas, Rancière, Desentendimento

Resumo

Nosso objetivo é apresentar a concepção de desentendimento em Jacques Rancière enquanto uma crítica a concepção habermasiana de emancipação que possui como um de seus elementos centrais a ideias linguagem, reflexão, interação, interesse de consenso. O artigo é um recorte da tese A teoria emancipação em Karl Marx e Jürgen Habermas, defendida junto ao Programa Integrado de Pós-Graduação em Filosofia – PIPGF/UFPBUFPE-UFRN sob a orientação do prof. Dr. Edmilson Alves de Azevêdo. Organizando-se de forma que, no primeiro momento apresentamos a relação entre racionalidade e emancipação para, num segundo momento desenvolvermos uma crítica a concepção habermasiana de emancipação.

Referências

ARISTÓTELES. A política. 2ª Ed. Trad. Nestor Silveira Chaves. Bauru: Edipro. 2009.

BAUMAN, Zygmunt. Por uma sociologia crítica: Um ensaio sobre senso comum e emancipação. Trad. Antônio Amaro Cirurgião. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

KOSELLECK, Reinhart. Historias de conceptos: Estudios sobre semántica y pragmática del lenguaje político y social. Madrid: Editorial Trotta. 2012.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. Trad. Ângela Leite Lopes. São Paulo: Editora 34, 1996.

_____. O mestre ignorante: cinco lições sobre emancipação intellectual. 3ª Ed. Trad. Lílian do Vale. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

VIETTA, Silvio. Racionalidade uma história universal: cultura europeia e globalização. Trad. Nélio Schneider. Campinas: Editora da Unicamp, 2015.

Publicado
2020-05-19
Seção
Artigos