Efeito do benzilaminopurina e da cinetina sobre potencial morfogênico de cana-de-açúcar

  • Joelson Germano Crispim
  • Mailson Monteiro do Rêgo
  • Elizanilda Ramalho do Rêgo
  • Gláucia Diojânia Azevedo Medeiros
  • Welligton dos Santos Soares
  • Maria dos Santos Pessoa

Resumo

As primeiras cultivares de S. officinarum L. introduzidas no Brasil foram importadas da Índia durante o período colonial, sendo cultivadas na mesorregião do brejo paraibano, a exemplo de POJ Branca, as quais estão contaminadas por doenças e produzem pouco. A micropropagação de plantas possibilita a limpeza clonal e a multiplicação massal, em tempo e espaço reduzidos. Concentrações adequadas de fitorreguladores é fator limitante de desenvolvimento dos explantes cultivados in vitro. Neste contexto, o trabalho teve como objetivo avaliar o efeito do benzilaminopurina e da cinetina sobre potencial morfogênico do cultivar POJ Branca. Para tanto, utilizou-se como fonte de explante ápices caulinares de palmitos, os quais após serem desinfestados foram cultivados em meio Murashige e Skoog (MS) suplementado com nove diferentes combinações de benzilaminopurina (0,0; 0,5 e 1,0 mg.L-1) e cinetina (0,0; 0,1 e 0,2 mg.L-1). Após 14 dias de cultivo foram avaliadas as seguintes variáveis: número de brotações, comprimento das brotações laterais, matéria fresca e número de explantes necrosados. As interações entre BAP x KIN de todos os tratamentos mostraram-se significativas a 5% de probabilidade para as variáveis, matéria fresca, comprimento planta e número de explantes necrosados, sendo as combinações de BAP (1,0 mg.L-1) e KIN (0,1 mg.L-1) as mais adequadas, respectivamente, para maior número de brotos e maior teor de matéria fresca.
Publicado
2014-08-27
Seção
Artigo Científico