Taninos da casca do Cajueiro: atividade antimicrobiana

  • Andréia Vieira Pereira
  • Tatiane Kelly Barbosa de Azevêdo
  • Severino Silvano dos Santos Higino
  • Gregório Mateus Santana
  • Luiz Fernando Annunziata Trevisan
  • Sérgio Santos de Azevedo
  • Mayra Vieira Pereira
  • Andréia Fernanda Ramos de Paula

Resumo

Os taninos são tóxico a muitos organismos inferiores causadores de doenças, como a bactéria Staphylococcus aureus que é o mais freqüente agente etiológico da mastite bovina. Este trabalho teve como objetivo determinar a atividade antimicrobiana in vitro das substâncias tânicas isoladas do caule do cajueiro (Anacardium occidentale Linn.) sobre linhagens de Staphylococcus aureus de origem bovina. A atividade antimicrobiana in vitro da solução tânica extraída do caule do cajueiro foi avaliada, pela determinação da concentração mínima inibitória. Para determinação da concentração inibitória mínima (CIM) o tanino foram dissolvido de forma seriada em água destilada em concentrações inicial de 500 µg/mL. Os ensaios foram realizados em triplicata. O tanino inibiu o crescimento de Staphylococcus aureus formando halos que variaram de 10 a 17 mm sendo a CIM de 31,25 µg/mL. Os resultados mostram uma significante atividade bactericida e bacteriostática de tais linhagens, constituindo um meio medicinal alternativo com atividade anti-infectiva sobre S. aureus.
Publicado
2015-05-15
Como Citar
Pereira, A. V., Azevêdo, T. K. B. de, Higino, S. S. dos S., Santana, G. M., Trevisan, L. F. A., Azevedo, S. S. de, Pereira, M. V., & Paula, A. F. R. de. (2015). Taninos da casca do Cajueiro: atividade antimicrobiana. Agropecuária Técnica, 36(1), 121-127. https://doi.org/10.25066/agrotec.v36i1.23002
Seção
Artigo Científico