Oralide em prática lúdica na educação infantil

  • Andréia Dutra Escarião UFPB
  • Evangelina Maria Brito de Faria UFPB

Resumo

As práticas educativas, que permitem a construção de espaços lúdicos, que privilegiam a oralidade, apresentam-se, no nosso entendimento, como caminhos na busca por uma educação de qualidade. Este artigo é um recorte da tese de doutorado, que teve como objetivo observar como a ludicidade presente em práticas escolares ajuda a desenvolver a oralidade em crianças em fase de aquisição de linguagem. Para tal, discutiremos à luz de alguns teóricos como Marcuschi (2001), Bakhtin (1988), e Vygotsky (1989). Metodologicamente, a pesquisa foi realizada com crianças na faixa de 2 a 3 anos de idade, matriculadas na Educação Infantil da Escola de Educação Básica da UFPB. Foram analisadas cenas de brincadeiras, gravadas em situações diversas do cotidiano escolar. As transcrições e análises de dados foram feitas através do software Eudico Linguistic Annotator – Elan. As análises apontaram para o papel da brincadeira como mola impulsionadora para o desenvolvimento da fala como também evidenciou a função relevante da contação de histórias nesse processo.

Biografia do Autor

Andréia Dutra Escarião, UFPB
Possui graduação em Pedagogia e em Psicologia, mestrado em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (2009), doutoranda em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba. É professora adjunta da Universidade Federal da Paraíba, no Centro de Educação, Departamento de Psicopedagogia.
Evangelina Maria Brito de Faria, UFPB
Possui graduação em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (1982), mestrado em Língua Portuguesa pela Universidade Federal da Paraíba (1993) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Pernambuco (2002). É professora Titular da Universidade Federal da Paraíba, membro da Pós-Graduação de Linguística (PROLING) da UFPB, atuando na área de Aquisição da Linguagem.
Publicado
2019-09-12
Como Citar
Escarião, A. D., & de Faria, E. M. B. (2019). Oralide em prática lúdica na educação infantil. DLCV - Língua, Linguística & Literatura, 15(1), 48-71. https://doi.org/10.22478/ufpb.2237-0900.2019v15n1.44273
Seção
Artigos