Avaliação do comportamento em campo de um rebanho de caprinos das raças Saanen e Parda Alpina no semiárido como contribuição para o entendimento do impacto do aquecimento global

Autores

  • Gil Dutra Furtado PRODEMA UFPB
  • Maria Cristina Crispim

Palavras-chave:

Comportamento animal, cabras Saanen, cabras Parda Alpina, bioclimatologia

Resumo

A caprinocultura abrange grande possibilidade econômica, com o manejo adequado dos recursos zootécnicos e naturais. O manejo de animais especializados tem sido uma das técnicas mais utilizadas para melhorar a caprinocultura, viabilizando um aumento produtivo e uma melhor formação genética dos rebanhos. Dos fatores que cercam a caprinocultura de precisão, o clima tem sido um dos fatores regionais que mais interferem na adaptação da nova prevalência genética, pois em suas origens, geralmente a temperatura do ar, apresenta na maior parte do ano, valores mais baixos que os do corpo do animal. Na observação de um rebanho de fêmeas em lactação das raças Saanen e Parda Alpina em sistema de criação semi-intensiva, os animais apresentaram padrões semelhantes tanto em nível de campo quanto no comportamento fisiológico. No que se refere ao comportamento no campo mostrou-se que a procura do equilíbrio homeotérmico destes animais ao ambiente estressante, contribui para o melhor entendimento da sua reação comportamental. Os animais evitaram o pasto do período vespertino, no mês mais quente e a resposta fisiológica mostrou aumento acima do normal para os batimentos cardíacos e frequência respiratória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gil Dutra Furtado, PRODEMA UFPB

PRODEMA - PNPD (Programa Nacional de Pos Doutorado)

Downloads

Publicado

2015-03-23

Como Citar

FURTADO, G. D.; CRISPIM, M. C. Avaliação do comportamento em campo de um rebanho de caprinos das raças Saanen e Parda Alpina no semiárido como contribuição para o entendimento do impacto do aquecimento global. Gaia Scientia, [S. l.], v. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/19159. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais