Estudo taxonômico e etnobotânico sobre a família Asteraceae (Dumortier) em uma comunidade rural no Nordeste do Brasil

Autores

  • Maria Pessoa da Silva
  • Felipe Sousa Queiroz Barbosa
  • Roseli Farias Melo de Barros

Palavras-chave:

Etnobotânica, Compositae, Comunidade Rural, Taxonomia

Resumo

Asteraceae (Dumortier) é a maior família dentre as Angiospermas com registros de aproximadamente 250 gêneros e 2.000 espécies; no Brasil encontra-se distribuída em todo o território. Objetivou-se conhecer a relação da comunidade rural Sítio Velho, no município de Assunção do Piauí/PI, inserida no bioma Caatinga, com as espécies de Asteraceae utilizadas, tendo em vista a importância do acervo de informações taxonômicas e populares para o conhecimento dos recursos desta região. As coletas botânicas e herborização seguiram a metodologia usual e foram incorporadas ao acervo do Herbário Graziela Barroso (TEPB) da Universidade Federal do Piauí (UFPI). O levantamento dos dados etnobotânicos foi realizado por meio de entrevistas semiestruturadas, conversas informais e turnês-guiadas. Foram referidas e identificadas sete espécies, distribuídas em três tribos e sete gêneros. As espécies que apresentaram maior VUatual foram Bidens pilosa L. e Acanthospermum hispidum DC.O VUpotencial foi representativo apenas para Tagetes minuta L. O cálculo de rarefação demonstrou que o maior conhecimento botânico está contido na faixa etária adulta. A partir dessas análises foi possível estimar a importância taxonômica e a aproximação desta com o conhecimento tradicional acumulado, bem como a interação dos moradores com os bens naturais e o modo de vida das pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-12-29

Como Citar

SILVA, M. P. da; BARBOSA, F. S. Q.; BARROS, R. F. M. de. Estudo taxonômico e etnobotânico sobre a família Asteraceae (Dumortier) em uma comunidade rural no Nordeste do Brasil. Gaia Scientia, [S. l.], v. 8, n. 2, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/22426. Acesso em: 16 jan. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>