PESCADORES E “CURRAIS”: UM ENFOQUE ETNOECOLÓGICO.

Autores

  • Glória Cristina Cornélio do Nascimento Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Doutoranda - PRODEMA
  • Eduardo Beltrão de Lucena Córdula Universidade Federal da Paraíba (UFPB)- Doutorando - PRODEMA
  • Reinaldo Farias Paiva Lucena Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Centro de Ciências Agrárias (CCA). Departamento de Fitotecnia e Ciências Ambientais (DFCA), Areia, Paraíba.
  • Ricardo de Souza Rosa Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN), João Pessoa, Paraíba.
  • José da Silva Mourão Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - Departamento de Biologia, Campina Grande, Paraíba.

Palavras-chave:

Pesca artesanal, Fatores Bióticos e Abióticos, Conhecimento Ecológico Local.

Resumo

Os “currais” de pesca são armadilhas fixas com moirões, varões e varas estrategicamente implantados no solo junto aos recifes. O objetivo do presente estudo foi analisar os aspectos etnoecológicos dos pescadores de “currais” em Cabedelo, litoral da Paraíba. A pesquisa foi desenvolvida com pescadores (n=7) através de duas excursões quinzenais de acordo com a variação das marés nos cinco meses de sua despesca (Novembro, 2012 à Março de 2013) totalizando 21 coletas. Pescadores de diferentes modalidades de pesca também foram entrevistados (n=20) com objetivo de confirmar memes locais. Os métodos adotados foram a técnica “Bola de neve” (“snow ball”), observação Direta, com entrevistas informais e formulários semiestruturados além da utilização do índice de constância, do valor de uso, econômico e taxonomia folk . Na composição da ictiofauna foram registradas 25 espécies de peixes distribuídas em 15 famílias. A distribuição espacial dos peixes pode ser demonstrada conforme os estratos verticais na coluna d’água e ecozonas. A melhor maré para a despesca foi a maré vazante seguida da maré “morta” ou de lançamento. Os pescadores consideram os ventos Leste, Norte e Nordeste como os melhores para a pesca. O estudo demonstrou como o conhecimento local dos pescadores de “currais” corroboram com o conhecimento científico em seus aspectos etnoecológicos, demonstrando precisão e importância para medidas de conservação de espécies, ecossistemas e cultura local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Albuquerque UP. 2010. Seleção dos participantes da pesquisa. In: Albuquerque, UP, Lucena, RFP and Cunha, LVFC. Métodos e Técnicas na pesquisa Etnobiológica e Etnoecológica. V.1. Série estudos e avanços. Recife, PE: NUPPEA, p. 21-38.

Allut AGO. 2000. Conhecimento dos especialistas e seu papel no desenho de novas políticas pesqueiras. In: Diegues, AC. (Org). Etnoconservação: novos rumos para a conservação da natureza. HUCITEC/NUPAUB- USP, São Paulo-SP.

Alves AGC and Souto FJB. 2010. Etnoecologia ou etnoecologias?: encarando a diversidade conceitual. In: Alves, AGC, Souto, FJB and Peroni, N. (Org.). Etnoecologia em perspectiva: natureza, cultura e conservação. Recife, PE: NUPEEA, p. 17-39.

Araújo AGP. 2012. Vaqueiros e Mestres em alto mar. Uma análise dos processos de trabalho dos pescadores de curral da praia de Bitupitá-Ce. In: Encontro Anual da Anpocs, 36., Águas de Lindóia-SP. Anais... Águas de Lindóia-SP: ANPOCS.

Azevedo-Santos VM, Costa-Neto EM and Lima-Stripari N. 2010. Concepção dos pescadores artesanais que utilizam o reservatório de furnas, estado de Minas Gerais, a cerca dos recursos pesqueiros: Um estudo etnoictiológico. Revista Biotemas, 23(4): 35-145.

Barroso LV and Fabiano FFC. 1995. Estudo da Pesca com artes fixas na Lagoa de Araruama (RJ). In: Esteves, FA (Ed.). Ecologia Brasiliensis: Estrutura, funcionamento e manejo de ecossistemas brasileiros. V. 1. Rio de Janeiro: UFRG, p. 569-585.

Brasil. 2013. Pesca Artesanal. Brasília-DF: Ministério da Pesca e Aquicultura, 2011. Disponível em: <http://www.mpa.gov.br/pescampa/artesanal>. Acesso em: 05 ago. 2013.

Brandão FC and Silva L. 2008. Conhecimento ecológico tradicional dos pescadores da Floresta Nacional do Amapá. Revista Uakari, Belém-PA, 4(2): 55-66.

Begossi A. 2004. Áreas, Pontos de pesca, Pesqueiros e Territórios na pesca artesanal In: Begossi A (Ed.). Ecologia de Pescadores da Mata Atlântica e da Amazônia. São Paulo: HUCITEC, p. 223-253.

Begossi A, Clauzet JL, Figueiredo L, Garuana RV, Lima PF, Lopes M, Ramires M, Silva AL and Silvano, RAM. 2008. Are biological species and higher-ranking categories real? Fish folk taxonomy on Brazil’s Atlantic forest coast and in the Amazon. Current Antropology, 49(2): 291-305.

Berlin B. 1973. Folk systematic in relation to biological classification and nomenclature. Annual Review of Ecology and Systematic, 4: 259-271,

Berkes F and Grant S. 2007. Fisher knowledge as expert system: A case from the longline fishery of Grenada, the eastern Caribbean. Fisheries Research, 84(2): 162-170.

Bezerra DMM, Nascimento DM, Ferreira EN, Rocha PD and Mourão JS. 2012. Influence of tides and winds of fishing techniques and strategies in the Mamanguape River Estuary, Paraíba State, NE. Brazil. Academia Brasileira de Ciências, 84(3): 775-787.

Bernard HR. 1995. Research methods in Antropology: qualitative and quantitative approaches. 2 ed. Walmut Creek (EUA): Altamira Press.

Burda CL. 2007. Análise ecológica da pesca artesanal e consumo de pescado por quatro comunidades pesqueiras da costa de Itacaré (BA). Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em sistemas aquáticos tropicais. UESC, Ilhéus-Bahia, 124p.

Calado, JF. 2010. Pesca Artesanal em Maracajaú – RN, Brasil: Uma abordagem etnoecológica. Dissertação de mestrado, Universidade Federal da Paraíba, Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas, 79p.

Cardoso ES. 2004. O vento, o fundo, a marca: diálogos sobre a apropriação da natureza no universo pesqueiro. In: Diegues AC (Org.). Enciclopédia Caiçara, o olhar do pesquisador. V. 1. São Paulo-SP: HUCITEC-NUPAUB- CEC/USP, p.133-164.

Carneiro ML. 2012. Etnoictiologia dos pescadores urbanos da Pedra Furada (Salvador, Bahia): Aspectos etológicos, ecológicos e taxonômicos. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Zoologia. UEFS, Feira de Santana-BA, 115p.

Corneta CM. 2008. Etnoictiologia de pescadores artesanais da vila de Picimguaba, Ubatuba, São Paulo. Dissertação de mestrado apresentada ao instituto de Biologia, Universidade Estadual de Campinas, 76p.

Correia DG. 2012. Conhecimento ecológico local dos pescadores sobre a dieta alimentar dos peixes do açude de Boqueirão- semiárido Paraibano. Monografia apresentada ao curso de Ciências Biológicas, UEPB, Campina Grande-PB, 37p.

Costa PCP. 2011. Interações socioecológicas na pesca a luz da etnoecologia abrangente: A praia de Itaipú, Niteroi/Rio de Janeiro. Tese de doutorado apresentada ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, 251p.

Costa-Neto EM. 1998. Etnoictiologia, desenvolvimento e sustentabilidade no litoral Norte baiano. Um estudo de caso entre pescadores do município do Conde. Dissertação de mestrado apresentada no departamento de Ciências Biológicas, UFAL, 191p.

Costa-Neto EM and Marques JGW. 2001. Atividades de pesca desenvolvidas por pescadores da comunidade de Siribinha, município do Conde, Bahia: Uma abordagem etnoecológica. Sitientibus, Série Ciências Biológicas, 1: 71-78.

Cortez CS. 2010. Conhecimento ecológico local, técnicas de pesca e uso dos recursos pesqueiros em comunidades da área de proteção ambiental Barra do rio Mamanguape, Paraíba, Brasil. Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, UFPB, 91p.

Cunha LHO. 2004. Saberes patrimoniais pesqueiros. In: Diegues AC (Org.). Enciclopédia Caiçara, o olhar do pesquisador. V. 1. São Paulo-SP: HUCITEC-NUPAUB-CEC/USP, 105-115p.

Dajoz R. 1978. Ecologia Geral. 3. ed. Tradução de Francisco M. Guimarães. Petrópolis-RJ: Vozes.

Diegues ACS. 2000. Etnoconservação da natureza: Enfoques alternativos. In: Diegues AC (Org). Etnoconservação: Novos rumos para proteção da natureza nos trópicos. São Paulo: Hucitec/NUPAUB.

______. 2004. A pesca construindo sociedades: Leituras em antropologia marítima e pesqueira. Núcleo de Apoio á Pesquisa sobre Populações Humanas e Áreas Úmidas Brasileiras, USP, 315p.

Diegues AC and Arruda RSV. 2001. Saberes tradicionais e biodiversidade no Brasil. Brasília: Ministério do Meio Ambiente; São Paulo: USP.

Dyer CL and Macgoodwin JR (Eds.). 1999. Folk management in the World’s fisheries. Spring, Culture & Agriculture, book review, 21(1): 49-51.

Fernandes-Pinto E and Marques JGW. 2004. Conhecimento etnoecológico de pescadores artesanais de Guaraqueçaba (PR). In: Diegues AC (Org.). Enciclopédia Caiçara, o olhar do pesquisador. V. 1. São Paulo-SP: HUCITEC-NUPAUB-CEC/USP, 163-190p.

Fonteles-Filho AA and Espínola MF. 2001. Produção do pescado e relações interespecífica na biocenose capturada por currais-de-pesca, CE. Boletim Técnico Científico do CEPENOR, 1(1): 111-124.

Flores-Lopes F, Cetra M and Malabarba LR. 2010. Utilização de índices ecológicos em assembleias de peixes como instrumentos de avaliação da degradação ambiental em programas de monitoramento. Biota Neotropica, 4(4): 183-194.

Froese R and PAULY D (Eds.). 2013. FishBase. Disponível em: <http://www.fishbase.org>. Acesso em: 06 mai. 2013.

Furtado LG. 1987. Curralistas e Redeiros de Marudá: Pescadores do Litoral do Pará. Museu Paraense Emílo Goeldi, Belém-PA.

Gray F and Zann L (Eds.). 1988. Traditional Knowledge of the Marine Environment in Northern Australia. Great Barrier Reef Marine Park Authority, Workshop Series, n. 8

Godefroid RS, Spach HL, Scharz R, Queiroz GMLN and Neto O. 2003. Efeito da lua e da maré na captura de peixes em uma planície de maré da Bacia de Paranaguá, Paraná, Brasil. Boletim do Instituto de Pesca, São Paulo, 29(1): 47-55.

Gomes LN, Júnior JRP and Piorski NM. 2003. Aspectos ecomorfológicos da comunidade de peixes do estuário do Rio Anil, Ilha de São Luís – MA. Boletim do laboratório de Hidrobiologia, 16: 29-36.

Gomes N et al. 2012. Influência dos currais na malacofauna da praia de Arpoeiras, Acaraú, Ceará. In: Encontro Nacional dos Núcleos de Pesquisa Aplicada em Pesca e Aquicultura, 4., 2012, Foz do Iguaçu-PR. Anais... Foz do Iguaçu-PR: MEC-MPA.

Gondim AI, Dias TLP, Campos FF, Alonso C and Christoffersen ML. 2011. Benthic macrofauna from Areia Vermelha Marine State Park, Cabedelo, Paraíba, Brazil. Biota Neotropical, 11(2): 75-86.

Gutierrez NL, Hilborn R and Defeo O. 2011. Leadership, social capital and incentives promote successful fisheries. Nature, 470(7334): p.386-389.

Johannes RE. 1978. Traditional Marine Conservation Methods in Oceania and Their Demise. Ann. Rev. Ecol. Syst. 9: 349-364.

Kuparinen A, Klefoth T and Arlingaus R. 2010. Abiotics and fishing-related correlates of angling cath rates in pike (Esox Lucius). Fisheries Research, 105: 11-117.

Legat JFA and Mai ACG. 2010. A riqueza da ictiofauna capturada em currais de pesca artesanal no litoral do Piauí. Agrosoft Brasil. Disponível em: <http://www.agrosoft.com/br/a-riqueza-da-ictiofauna-capturada-em-currais-de-pesca-artesanal-no-litoral-do-piaui/artigos/>. Acesso em: 11 abr. 2013.

Lima RK and Pereira LF. 2007. Pescadores de Itaipu: Meio ambiente, conflito e ritual no litoral do Rio de Janeiro. Niterói-RJ: EDUFF.

Lopes PFM, Silvano R and Begossi A. 2010. Da Biologia a Etnobiologia – Taxonomia e etnotaxonomia, ecologia e etnoecologia. In: Alves RRN and Souto WMS (Org.). A Etnozoologia no Brasil: importância, status atual e perspectivas. Recife, PE: NUPPEA, p. 67-94.

Mai ACG, Silva TFA, França FCD and Legat JFA. 2010. Ictiofauna capturada em currais no litoral do Piauí, Brasil. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia-CBO, 3., 2010, Rio Grande-RS. Anais..., Rio Grande (RS): Associação Brasileira de Oceanografia.

Maciel DC and Alves AGC. 2009.Conhecimento e práticas relacionadas ao aratu Goniopsis cruentata (Latreille, 1803) em Barra de Sirinhaém, litoral sul de Pernambuco, Brasil. Biota Neotrópica, 9(4): 29-36.

______. 1986. Pescadores do Mar. Série Princípios. São Paulo: Ática.

Marques JG. 1995. Pescando pescadores: Etnoecologia abrangente no baixo São Francisco Alagoano. São Paulo: NUPAUB-USP.

Martins VS. 2008. Uma abordagem etnoecológica abrangente da pesca de polvos (Octopus spp.) na comunidade de Coroa Vermelha ( Santa Cruz Cabrália, Bahia). Dissertação apresentada a Universidade de Santa Cruz, Ilhéus-BA, 127p.

Maneschy MC. 1993. Ajuruteua, uma comunidade pesqueira ameaçada. Belém, PA: UFPA/CFCH.

Medeiros MC. 2012. A pesca Artesanal na Costa da Paraíba: Um enfoque Etnoecológico. Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Ecologia e Conservação da Universidade Estadual da Paraíba. Campina Grande –PB, 119 p.

Menezes MF. 1976. Aspectos biológicos da Serra, Scomberomorus maculatus (Mitchill), capturada por currais de pesca. Arquivos de Ciências do Mar, UFC, 16: 45-48.

Menezes MF and Paiva MP. 1966. Notes on the biology of Tarpon, Tarpon atlanticus (Cuvier & Valenciennes) from coastal waters of Ceará state, Brazil. Boletim Estatístico de Biologia Marinha, UFC, 6: 83-98.

Mendes LP. 2002. Etnoecologia dos pescadores e marisqueiras da Vila de Garapuá/BA. Monografia apresentada ao Instituto de Biologia da UFBA, Salvador-BA, 97p.

Miranda JC and Mazzoni R. 2003. Composição da ictiofauna de três riachos do alto Tocantins – GO. Biota Neotropica, 3(1): 1-11.

Miranda GEC and Mutue TF. 2010. Monitoramento, manejo e restauração de populações de Gracilaria Caudata J. Agardh/Rhodophyta, Gracilariales) subsídios ao uso sustentável. Tese apresentada ao programa de Pós Graduação em Oceanografia, Recife-PE, 90p.

Mourão JS and Montenegro SCS. 2006. Pescadores e Peixes: o conhecimento local e o uso da taxonomia folk baseada no modelo Belineano. Recife-PE: NUPEEA [Série Estudos e Debates].

Mourão JS and Nordi N. 2006. Pescadores, peixes, espaço e tempo: uma abordagem etnoecológica. Interciência, Caracas, Venezuela, 31(4): 1-7.

Morais ALS, Pessoa EKR, Chellappa S and Chellappa NT. 2012. Composição ictiofaunística da lagoa do Jiqui, Rio Grande do Norte, Brasil. Biota Amazônia, 2(1): 51-58.

Neves MM and Neves SM. 2010. Influência da morfodinâmica costeira na fisiografia do município de Cabedelo – PB. Revista de Geografia. Recife-PE: UFPE – DCG/NAPA, V. especial, VIII SINAGEO, n. 2, Set.

Nishida AK, Nordi N and Aalves RNN. 2006. The lunar-tide cycle viewed by crustacean and mollusc gatherers in the State of Paraiba, Northeast Brazil and their influence in Collection atitudes. Journal of Ethnobiology and Ethnomedicine, 2(1): 1-12.

Oliveira FC. 2007. Etnobotânica da exploração de espécies vegetais para a confecção do cerco-fixo na região do Parque Estadual Ilha do Cardoso, SP. Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Biologia vegetal, UFSC, Florianópolis, 166p.

Paiva MP and Nomura H. 1965. Sobre a produção pesqueira de alguns currais-de-pesca do Ceará: Dados de 1962 a 1964. Arquivos de Ciências do Mar, 5: 175-214.

Pereira LF and Lima RK. 1997. Pescadores de Itaipu: meio ambiente, conflito e ritual no litoral do estado do Rio de Janeiro. Niterói-RJ: EDUFF.

Pieves SMN. 2009. Dinâmica do conhecimento ecológico local, etnoecologia e aspectos da resiliência dos pescadores artesanais da Lagoa Mirim- RS. Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Rural, UFRS, Porto Alegre-RS, 196p.

Pinto MF. 2012. Caracterização Socioambiental e uso de animais por comunidades tradicionais do Litoral do Estado do Ceará. Dissertação apresentada ao Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA, UFPB, João Pessoa-PB.

Posey D. 1987. Introdução a Etnobiologia: Teoria e Prática. In: Ribeiro B (Ed.). Suma etnológica Brasileira. V. 1. Etnobiologia. Petrópolis-RJ: Vozes.

Radasewsky A. 1976. Considerações sobre a captura de peixes por um cerco fixo em Cananéia, São Paulo, Brasil. Boletim do Instituto Oceanográfico de São Paulo, São Paulo, 25: 1-28.

Ramires M, Molina SMG and Hanazaki N. 2007. Etnoecologia caiçara: o conhecimento dos pescadores artesanais sobre aspectos ecológicos da pesca. Biotemas, Santa Catarina-RS, UFSC, 20(1): 101-113.

Ramires M and Barella V. 2003. Ecologia da pesca artesanal em populações caiçaras da Estação Ecológica de JuréiaItatins, São Paulo, Brasil. Interciencia 28: 208-213.

Ramires M, Barella V and Esteves AM. 2012. Caracterização da pesca artesanal e o conhecimento pesqueiro local no Vale do Ribeira e litoral sul de São Paulo. Revista Ceciliana, São Paulo-SP, jun., 4(1): 37-43.

Ribeiro MAT. 2003. A perspectiva dialógica na compreensão de problemas sociais: O caso da pesca de curral em Ipioca-AL. Tese apresentada na PUC (Doutorado em Psicologia Social). São Paulo, 260p.

Rohca MSP, Mourão JS, Souto WMS, Barboza RRD and Alves RRN. 2008. O uso dos recursos pesqueiros no estuário do Rio Mamanguape, estado da Paraíba, Brasil. Interciências, Caracas,Venezuela, 33(2): 903-909.

Rossato SC, Leitão-Filho HF and Begossi A. 1999. Ethnobotay of Caiçaras of the Atlantic Forest Coast (Brazil). Economic Botany, 53: 387-395.

Schmiegelow JMMM. 2004. O Planeta Azul: Uma Introdução ás Ciências Marinhas. Rio de Janeiro: Interciência.

Seixas C and Begossi A. 2001. Ethnozoology of caiçaras from Aventureiro, Ilha Grande. Journal of Ethnobiology, 21(1): 107-135.

Serpe FR, Adloff CT, Crispim MC and Rocha RM. 2010. Comunidade zooplanctônica em um estuário hipersalino no Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia de Pesca, Pernambuco, UFRPE/UEMA, 5(3): 51-73.

Silva JC. 1986. Pesca artesanal no litoral Norte da Paraíba: contradições e pobreza. Dissertação de mestrado pela Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Ciências Geográficas.

Silva LG. 2001. A faina, a festa e o rito: Uma etnografia histórica sobre as gentes do mar (sécs. XVII ao XIX). Campinas, SP: Papirus.

Silva TFA et al. 2010. Captura incidental de tartarugas marinhas em currais de pesca no litoral do Piauí, Brasil. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia, 3., 2010, Rio Grande- RS. Anais... Rio Grande-RS: Associação Brasileira de Oceanografia.

Silvano RAM. 2004. Pesca Artesanal e Etnoictiologia. In: Begossi A (Ed.). Ecologia de Pescadores da Mata Atlântica e da Amazônia. São Paulo: HUCITEC, p.187-220.

Souto FJB. 2008. A ciência que veio da lama: etnoecologia em área de manguezal. Série Estudos e debates. Recife-PE: NUPPEA.

______. 2010. Tudo tem seu lugar. Uma abordagem etnoecológica das ecozonas em uma comunidade pesqueira no litoral da Bahia. In: Alves AGC, Souto FJB and Peroni N (Orgs.). Etnoecologia em perspectiva: natureza, cultura e conservação. Série: estudos e avanços. V. 3. Recife-PE: NUPEEA.

Piorski NM, Serpa SS and NUNES JLS. 2009. Análise comparativa da pesca de curral da Ilha do Maranhão – Brasil. Arquivos de Ciências do Mar, Fortaleza, 42: 65-71.

Tavares MCS et al. 2005. A Pesca de Curral no Estado do Pará. Boletim técnico-científico do CEPNOR, Belém-PA. 5(1): 115-139.

Turekian KK. 1969. Oceanos. Série de Textos Básicos de Geociência. Ed. Edgard Blücher LTDA. Tradutores: Carlos Augusto L. Isotta, Riuiti Yoshida, Andrea Bartorelli. 151p.

Vasconcelos M, Diegues AC and Sales RR. 2007. Limites e possibilidades na gestão da pesca artesanal costeiros. In: Costa AL (Org.). Nas Redes da pesca Artesanal. - Brasília: IBAMA.

Downloads

Publicado

2016-09-30

Como Citar

NASCIMENTO, G. C. C. do; CÓRDULA, E. B. de L.; LUCENA, R. F. P.; ROSA, R. de S.; MOURÃO, J. da S. PESCADORES E “CURRAIS”: UM ENFOQUE ETNOECOLÓGICO. Gaia Scientia, [S. l.], v. 10, n. 4, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/gaia/article/view/25271. Acesso em: 25 jan. 2022.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)