Diversidade de aves em parques eólicos na APA Delta do Parnaíba, Nordeste, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2019v13n4.44698

Resumo

Parques eólicos são produtores de energia limpa por apresentarem baixo impacto ambiental, além de possibilitar a renovação dos recursos naturais. No entanto, alguns grupos de fauna são mais afetados, como é o caso das aves. Outro fato importante são os impactos oriundos da perda de habitat natural decorrente da implantação das estradas de acesso e linhas de transmissão. Com isso o presente trabalho tem como objetivo relacionar a composição e dinâmica das espécies de aves presentes com os possíveis impactos causados pelos Parques Eólicos Testa Branca I e III. O trabalho foi realizado nos Parques Eólicos Testa Branca I e III localizados no município de Ilha Grande, Piauí. Foram realizadas quatro campanhas, nos meses de fevereiro e julho, dos anos de 2017 e 2018. Os métodos utilizados foram o ponto de escuta e captura por rede de neblina (mist nets). A amostragem resultou no registro de 9.136 contatos e 74 capturas, com indivíduos pertencentes a 102 espécies, distribuídas em 20 ordens e 41 famílias. Além dos registros obtidos, quatro indivíduos mortos devido a colisões com aerogeradores foram registrados. Das espécies registradas duas espécies apresentam algum grau de ameaça, tanto na lista da IUCN quanto na lista nacional de animais ameaçados de extinção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Aleixo A. 2001. Conservação da avifauna da Floresta Atlântica: efeitos da fragmentação e a importância de florestas secundárias. Ornitologia e conservação: da ciência às estratégias. Tubarão: Unisul, 199-206.

Aleixo A, Vielliard JME. 1995. Composição e dinâmica da avifauna da mata de Santa Genebra, Campinas, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 12(3):493-511.

Almeida AF. 1982. Análise das categorias de nichos tróficos das aves de matas ciliares em Anhembi, Estado de São Paulo. Silvicultura, 15:1787-1795.

Almeida AF, Almeida A. 1998. Monitoramento de fauna e de seus habitats em áreas florestadas. Série Técnica IPEF, 12(31):85-92.

Andrade IM, Silva MFS, Simon JM, Silva AG, Silva APM, Braz GS, Nascimento HCE, Melo LMB, Costa MCA, Nascimento MGP, Reis RB, Santos RL. 2012. Diversidade de Fanerógamas do Delta Do Parnaíba – Litoral Piauiense. In: Guzzi, A (org). Biodiversidade do Delta do Parnaíba: litoral piauiense. Parnaíba: EDUFPI, p.63-115.

Anjos L. 1998. Conseqüências biológicas da fragmentação no norte do Paraná. IPEF, Piracicaba, 12(32):87-94.

Argel-de-Oliveira MM. 1993. Publicar ou não publicar? Listas de espécies são necessárias. Boletim CEO, 9:35-40.

Atauri JA, Lucio JV. 2001. The role of landscape structure in species richness distribuition of birds, amphibians, reptiles and lepidopterans in Mediterranean landscapes. Landscapes Ecology, 16(2):147-159.

Barrios L, Rodriguez A. 2004. Behavioural and environmental correlates of soaring-bird mortality aton-shore wind turbines. Journal of Applied Ecology, 41(1):72–81.

Bergallo HG, Magnusson WE. 2002. Effects of weather and food availability on the condition and growth of two species of rodents in Southeastern Brazil. Mammalia, 6(1):17-31.

Bibby CJ, Burgess ND, Hill DA. 1992. Birds census techniques. London: Academic Press, 257p.

Bildstein KL, Bancroft GT, Dugan PJ, Gordon DH, Erwin RM, Nol E, Payne LX, Senner SE. 1991. Approaches to the conservation of coastal wetlands in the Western Hemisphere. The Wilson Bulletin, 103:218-254.

Blamires D, Valgas AB, Bispo PC. 2001. Estrutura da comunidade de aves da Fazenda Bonsucesso, município de Caldazinha, Goiás, Brasil. Tangara, 1(3):101-113.

Brasil. 1996. Decreto de 28 de agosto de 1996. Dispõe sobre a criação da Área de proteção Ambiental Delta do Parnaíba, nos estados do Piauí, Maranhão e Ceará, e dá outras providencias. Brasilia, DF, 29 de agosto de 1996. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/dnn/anterior%20a%202000/1996/dnn4368.htm>. Acesso em: 16 de mai 2018.

Brasil. 2014. Ministério do Meio Ambiente. Lista de espécies. Disponível em:<http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/biodiversidade/fauna-brasileira/avaliacao-do-risco/PORTARIA_N%C2%BA_444_DE_17_DE_DEZEMBRO_DE_2014.pdf > Acesso em: 06 de mar. de 2018.

Cabral SAS, Azevedo Júnior SM, Larrazábal ME. 2006. Levantamento das aves da Área de Proteção Ambiental de Piaçabuçu, no litoral de Alagoas, Brasil. Ornithologia. 1(2):161-167.

Camargo ASG. 2005. Análise da operação das usinas eólicas de Camelinho e Palmas e avaliação do potencial eólico de localidades no Paraná. Dissertação (Mestrado em Tecnologia) - Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, Curitiba, 2005. 206f.

Cardoso CO, Santos AGS, Gomes DN, Tavares AA, Guzzi A. 2013. Análise e composição da avifauna no Aeroporto Internacional de Parnaíba, Piauí. Ornithologia, 6(1):89-101.

CASTRO AAJF. 2007. Unidade de planejamento: uma proposta para o estado do Piauí com base na dimensão diversidade de ecossistemas. Publicações Avulsas em Conservação de Ecossistemas, 18:1-28.

Cavarzere V, Moraes GP, Donatelli RJ. 2009. Avifauna da Estação Ecológica dos Caetetus, interior de São Paulo, Brasil. Papéis Avulsos de Zoologia, 49(35):477-485.

CEMAVE (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres). 2016. Relatório anual de rotas e áreas de concentração de aves migratórias no Brasil. Cabedelo, PB: CEMAVE/ ICMBio. 63p.

D'angelo-Neto S, Venturin N, Oliveira-Filho AT, Costa FAF. 1998. Avifauna de quatro fisionomias florestais de pequeno tamanho (5-8 ha) no Campus da UFLA. Revista Brasileira de Biologia, 58(3):463-472.

Del Hoyo J, Eliott A, Sargatal J (Eds.). 2011. Handbook of the birds of the world: Tanagers to the New World Blackbirds. Barcelona: Lynx Edicions, 16. 684p.

Del Hoyo J, Elliott A, Sargatal J. 1994. Handbook of the Birds of the World: New World Vultures to Guineafowl. Barcelona: Lynx Edicions, 2, 638p.

Desholm M. 2009. Avian sensitivity to mortality: Prioritising migratory bird species for assessment at proposed wind farms. Journal of Environmental Management. 90(8):2672–2679.

Drewitt AL, Langston RHW. 2008. Collision effects of wind-power generators and other obstacles on birds. Annals of the New York Academy of Sciences, 1134:233-266.

Dunning JS. 1982. South American Land Birds. New York: Harrowood Books. 351p.

Efe M. 2001. Inventário e distribuição a avifauna do Parque Saint' Hilaire, Viamão, Rio Grande do Sul, Brasil. Tangara, Belo Horizonte, 1(1):12-25.

Gama TP, Sassi R. 2008. Aspectos do comércio ilegal de pássaros silvestres na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Gaia Scientia, 2(2):1-20.

Guzzi A, Gomes DN, Santos AGS, Favretto MA, Soares LMS, Carvalho RAV. 2015. Composição e dinâmica da avifauna da usina eólica da praia da Pedra do Sal, Delta do Parnaíba, Piauí, Brasil. Iheringia. Série Zoologia (Online), 105:164-173.

Guzzi A, Tavares AA, Santos AGS, Cardoso CO, Gomes DN, Machado JLC, Silva PC, Carvalho RAV, Vilarindo SG, Batista SCA. 2012. Diversidade de Aves do Delta do Parnaíba, Litoral Piauiense. In: GUZZI, A. (Org.). Biodiversidade do Delta do Parnaíba: litoral piauiense. Parnaiba: EDUFPI, 290-338.

IUCN. 2018. The IUCN Red List of Threatened Species. Versão 2018-2. Disponível em: <https://www.iucnredlist.org/ >. Acessado em: 25/11/2018.

Janss GFE. 2000. Avian mortality from power lines: a morphologic approach of a species-specific mortality. Biological Conservation, 95:353–359.

Köppen W. 1948. Climatologia: con un estudio de los climas de la tierra. México D.F.: Fondo de Cultura Econômica. 478p.

Larrazábal ME, Azevedo-Júnior SM, Pena O. 2002. Monitoramento de aves limícolas na salina Diamante Branco, Galinhos, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 19(4):1081-1089.

Larsen JK, Clausen P. 2002. Potential wind park impact on whooper swans in winter: the risk of collision. Waterbirds Special Publication, 1(25):327-330.

Licarião MR, Bezerra DMM, Alves RRN. 2013. Wild birds as pets in Campina Grande, Paraíba State, Brazil: An Ethnozoological Approach, Anais da Academia Brasileira de Ciências, 85:201-213.

Lopes S, Santos RJ. 2004. Observação de aves: do ecoturismo à educação ambiental. Caminhos de Geografia, 5(13):103-121.

MAGURRAN, A.E. 1998. Ecological diversity and its measurement. New Jersey: Princeton University Press, 179 p.

Luigi G, Fonseca VS, Moura FH, Iob A. 2010. Metodologia de controle e redução da incidência de aves em aeroportos no Brasil. In: Von Mater S, Straube FC, Accordi IA, Piacentini VQ, Cândido-Junior JF (org). Ornitologia e Conservacão: Ciência Aplicada, Técnicas de Pesquisa e Levantamento. Rio de Janeiro: Technical Books, p. 429-439.

Lunardi OV. 2010. Estratégias de Forrageamento e Evitação de Predadores em Charadriidae e Scolopacidae na Bahia de Todos os Santos, Bhaia, Brasil. (Tese de Doutorado) Universidade de Brasília, Brasília, Brazil. 157p.

Macías F, Nieto C, García A. 2003. Environmental impacts caused by eolic energy. Renewable Energy & Power Quality Journal, 1(1).

Marçal Júnior O, Franchin AG, Alteff EF, Da Silva Junior L, De Melo C. 2009. Levantamento da avifauna na reserva ecológica Panga (Uberlândia, MG, Brasil). Bioscience Journal, 25(6):149-164.

Martins FR, Santos FAM. 1999. Técnicas usuais de estimativa da biodiversidade. Revista Holos, 1:236-267.

Motta-Junior JC. 1990. Estrutura trófica e composição da avifauna de três habitats terrestres na região central de São Paulo. Ararajuba, 1:65-71.

Nascimento MS. 2018. Impactos ambientais da linha de transmissão Delta: Tabuleiros sobre a avifauna, Piauí, Brasil. Dissertação (Mestrado Desenvolvimento e Meio Ambiente) - UFPI. Teresina, p. 92.

Naka LN, Rodrigues M, Roos AL, Azevedo MA. 2002. Bird conservation on Santa Catarina Island, Southern Brazil. Bird Conservation International, Cambridge, 12(1):123-150.

Nobrega VA, Barbosa JAA, Alves RN. 2012. Use of wild birds by residents of the municipality of Fagundes, in Paraiba’s semiarid region: an ethnoornitologic approach. SITIENTIBUS, série Ciências Biológicas, 11(2):165-175.

Nunes CEC, MACHADO CG. 2012. Avifauna de duas áreas de caatinga em diferentes estados de conservação no Raso da Catarina, Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Ornitologia, 20(3):215-229.

Oliveira AC, Barbosa AEA, Sousa AEBA, Paludo D, Lima DM, Nascimento JLX, Souza MA, Arantes MS, Serafini PP, Amaral PP, Rossato RM, Medeiros RCS. 2016. Relatório anual de rotas e áreas de concentração de aves migratórias no Brasil. Cabedelo, PB: CEMAVE/ ICMBio. 63p.

Oliveira AC, Barbosa AEA, Sousa AEBA, Paludo D, Lima DM, Nascimento JLX, Souza MA, Arantes MS, Serafini PP, Amaral PP, Rossato RM, Medeiros RCS. 2016. Relatório anual de rotas e áreas de concentração de aves migratórias no Brasil. Cabedelo, PB: CEMAVE/ ICMBio, 63 p.

Olmos F, Silva WAG, Albano CG. 2005. Aves em Oito Áreas de Caatinga no Sul do Ceará e Oeste de Pernambuco, Nordeste do Brasil: Composição, riqueza e similaridade. Papéis Avulsos de Zoologia, 45(14):179−199.

Piacentini VQ, Aleixo A, Agne CE, Maurício GN, Pacheco JF, Bravo GA, Brito GRR, Naka LN, Olmos F, Posso S, Silveira LF, Betini GS, Carrano E, Franz I, Lees AC, Lima LM, Pioli D, Schunck F, Amaral FR, Bencke GA, Cohn- Haft M, Figueiredo LFA, Straube FC, Cesari E. 2015. Annotated checklist of the birds of Brazil by the Brazilian Ornithological Records Committee. Revista Brasileira de Ornitologia, 23(2):90-298.

Port D, Fisch F. 2013. Aves da Reserva Biológica Municipal Moreno Fortes, Rio Grande do Sul, Brasil. Ornithologia, 5(2):92-107.

Regalado LB, Silva C. 1997. Utilização de aves como indicadores de degradação ambiental. Revista Brasileira de Ecologia, 1:81-83.

Ridgely RS, Tudor G. 1994. The birds of South America. Oxford: University Press, 2v.

Saidur R, Rahim NA, Islam MR, Solangi KH. 2011. Environmental impact of wind energy. Renewable and Sustainable Energy Reviews, 15(5):2423-2430.

Santos FCV. 2017. Impactos ambientais do Complexo Eólico Delta do Parnaíba sobre a avifauna e os saberes etnoornitológicos na comunidade Labino, Piauí, Brasil. Dissertação (Mestrado Desenvolvimento e Meio Ambiente) - UFPI. Teresina, 113p.

Santos MPD. 2001. Análise biogeográfica da avifauna de uma área de transição Cerrado-Caatinga no centro sul do Piauí, Brasil. (Dissertação de Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Zoologia do MPEG/UFPA, 103p.

Santos MPD. 2008. Bird community distribution in a Cerrado- Caatinga transition área, Piauí, Brasil. Revista Brasileira de Ornitologia, 16(35):323-338.

Santos MPD, Cerqueira PV, Soares LMS. 2010. Avifauna em seis localidades no Centro-Sul do Estado do Maranhão, Brasil. Ornithologia, 4(1):49-65.

Santos SS. 2018. Impactos Ambientais do Perímetro Irrigado Tabuleiros Litorâneos do Piauí sobre a Avifauna. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – UFPI. Teresina, 150p.

Santos-Filho FS, Almeida Junior EB, Soares CJRS, Zickel CS. 2010. Fisionomias das Restingas do Delta do Parnaíba, Nordeste, Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, 3(3):218–227.

Schaeffer- Novelli Y. (coord.). 1995. Manguezal: Ecossistema entre a Terra e o Mar. São Paulo: Caribbean Ecological Research, 64p.

Schaeffer-Novelli Y, Cintrón G. 1986. Guia para Estudos de Áreas de manguezal: estrutura, função & flora. São Paulo, Caribbean Ecological Research, 150 p. e 3 apêndices.

Sekercioglu CH, Ehrlich PR, Daily GC, Aygen D, Goehring D, Sandí RF. 2002. Disappearance of insectivorous birds from tropical forest fragments. PNAS 99:263-267.

Sick H. 1983. Migrações de aves na América do Sul Continental. Brasília, Publicação Técnica CEMAVE – Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal, 395p.

Sick H. 1997. Ornitologia Brasileira. Edição revista e ampliada por José Fernando Pacheco. Editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 862p.

Sigrist T. 2009. Avifauna brasileira: descrição das espécies. São Paulo: Avis Brasilis, 305p.

Silva JMC, Souza MA, Bieber AGD, Carlos CJ. 2003. Aves da Caatinga: Status, uso do habitat e sensitividade. In: Leal IR, Tabarelli M, Silva MC. (Eds.). Ecologia e conservação da Caatinga. Recife, PE: Ed. Universitária da UFPE, 237- 273.

Silva LMR, Rodrigues AAF. 2015. Densidade e distribuição espacial de aves limícolas em habitats de forrageio na costa amazônica brasileira. Cabedelo, Ornithologia, 8(1):17-21.

Silveira MHB, Machado CG. 2012. Estrutura da comunidade de aves em áreas de caatinga arbórea na Bacia do Rio Salitre, Bahia, Brasil. Revista Brasileira de Ornitologia, 20(3):161-172.

Stotz DF, Fitzpatrick JW, Parker TA, Moskovits DK. 1996. Neotropical Birds: Ecology and Conservation. Chicago: The University of Chicago Press, 478p.

Stouffer PC, Bierregaard Junior RO. 1995. Use of Amazonian forest fragments by understory insectivorous birds. Ecology, Durham, 76(8): 2429-2445.

Telino-Junior WR, Azevedo-Junior SM, Lyra-Neves RM. 2003. Censo de aves migratórias (Charadriidae, Scolopacidae e Laridae) na Coroa do Avião, Igarassu, Pernambuco, Brasil. Revista Brasileira de Zoologia, 20(3):451-456.

Thelander CG, Smalwood KS, Rugge L. 2003. Bird Risk Behaviors and Fatalities at the Altamont Pass Wind Resource Area. Ojai, Califórnia. NREL, 83p.

Vieira FM, Purificação KN, Castilho LS, Pascotto MC. 2013. Estrutura Trófica de Quatro Fitofisionomias de Cerrado no Parque Estadual de Serra Azul. Ornithologia, 5(2): 43-57.

Vielliard JME, Silva WR. 1990. Nova metodologia de levantamento quantitativo da avifauna e primeiros resultados no interior do Estado de São Paulo, Brasil.In: Encontro Nacional dos Anilhadores de Aves, 4, Recife. Anais. Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 151-171.

Walker JS. 2006. Resource use and rarity among frugivorous birds in a tropical rainforest on Sulawesi. Biological Conservation, 130: 60-69.

Willis EO. 1979. The composition of Avian Communities in Remanescent woodlots in Southern Brazil. Papéis Avulsos de Zoologia, 33:1-25.

Downloads

Publicado

2019-12-30

Como Citar

PEREIRA, O. A.; RIBEIRO, A. S. N.; SANTOS, S. S.; SIQUEIRA, A. J. da S.; NASCIMENTO, M. dos S.; SANTOS, F. das C. V.; GUZZI, A. Diversidade de aves em parques eólicos na APA Delta do Parnaíba, Nordeste, Brasil. Gaia Scientia, [S. l.], v. 13, n. 4, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.1981-1268.2019v13n4.44698. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/44698. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)