Análise do risco aviário no Aeroporto Senador Petrônio Portella, Teresina-PI

Autores

  • Éthynna Marina Corrêa Santos Universidade Federal do Piauí-UFPI
  • Anderson Guzzi
  • Francisco das Chagas Vieira Santos
  • Ivo Gabriel Barros Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n3.62798

Resumo

Estudos em aeroportos são necessários para entender a influência destes espaços sobre a comunidade de aves e para listar os perigos que esse grupo pode ocasionar ao tráfego aéreo. O risco de acidentes envolvendo a avifauna e aeronaves é crescente devido ao aumento de linhas aéreas, expansão desordenada das cidades, falta de saneamento e de consciência ambiental por parte da população residente em áreas aeroportuárias, favorecendo a permanência de aves. Para avaliar esse potencial foram identificadas as espécies de aves que representam um risco iminente de colisões com aeronaves no aeroporto Senador Petrônio Portella, em Teresina-PI. Foram registradas 70 espécies de aves na área de estudo em 84 dias de amostragem, distribuídas em 34 famílias. As espécies: Estrilda astrild, Columba livia, Leistes superciliaris, Coragyps atratus e Tachornis squamata foram responsáveis por 64% de todos os avistamentos. Seis espécies apresentaram maior risco de colisão com aeronaves de acordo com a metodologia adotada: Cathartes aura, Cathartes burrovianus, C. atratus, Heterospizias meridionalis, C. livia e Caracara plancus. Este trabalho pode promover a geração de medidas mitigatórias buscando a redução desse risco, assim como estimular o debate deste tema pela sociedade civil e comunidade científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-11-30

Como Citar

CORRÊA SANTOS, Éthynna M.; GUZZI, A. .; VIEIRA SANTOS, F. das C. .; BARROS MINEIRO, I. G. . Análise do risco aviário no Aeroporto Senador Petrônio Portella, Teresina-PI. Gaia Scientia, [S. l.], v. 16, n. 3, p. 1–21, 2022. DOI: 10.22478/ufpb.1981-1268.2022v16n3.62798. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/gaia/article/view/62798. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Ciências Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)