O percurso de línguas da Psicanálise e seus avanços rumo ao oriente – Do alemão de Freud ao chinês de nossos dias

  • Pedro Heliodoro TAVARES USP
Palavras-chave: línguas da psicanálise, traduções da obra de Freud, Psicanálise na China

Resumo

Este artigo visa introduzir questões relacionadas à recente entrada da Psicanálise no mundo de expressão chinesa. Ele se inicia apresentando resumidamente como a Psicanálise teve seu desenvolvimento transformado e enriquecido por cada cultura e língua de influência com a qual manteve contato significativo. Se o “retorno a Freud” de Jacques Lacan, baseado nas obras de Saussure e outros linguistas conduziram à prevalência de uma compreensão do inconsciente como algo ligado a uma função da linguagem falada, suas próprias considerações acerca de línguas ideográficas tais como o japonês e o chinês parecem reabrir as discussões sobre o assunto, considerando, principalmente, a palavra escrita e suas relações com a realidade subjetiva.

Referências

ANDRADE, Cleyton Sidney. A interpretação analítica e a escrita poética chinesa. Tese de Doutorado. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, 2013.

BRASIL, Isidoro. Psicanálise de Brasileiro. Texto disponível em http://www. psicanalisedebrasileiro.com.br/artigoisidoro.html acesso em 17 de out. de 2016.

DUARTE-PLON, Leneide. Psicanalista Huo Datong. Ágora (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 153-158, June 2003 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script =sci_arttext&pid=S1516-14982003000100009&lng=en&nrm=iso>. Acessado em 17 de outubro de 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-14982003000100009.

FLUSSER, Vilém. Língua e Realidade. São Paulo: Annablume, 1963/2010.

FOUCAULT, Michel. O Nascimento da Clínica. Trad. Roberto Machado. Rio de Janeiro: Ed. Forende Universitária, 1963/2001.

FREUD, Sigmund. As pulsões e seus destinos (Edição Bilíngue). Trad. de Pedro Heliodoro Tavares. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

LACAN, Jacques. A instância da letra no inconsciente ou a razão desde Freud. In: Escritos. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

LACAN, Jacques. Seminário 22 – RSI (versão eletrônica não oficial). 1974-75.

NOTH, Isabelle (Org.). Sigmund Freud – Oskar Pfister: Briefwechsel (1909-1939). Zurique: Theologischer Verlag Zürich, 2014.

ROSA, Márcia. Da cadeia significante à constelação de letras: os signos do gozo. Ágora (Rio J.) [online]. 2009, vol.12, n.1, pp.53-73. Disponível em: <http://www. scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S151614982009000100004&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1809-4414. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-14982009000100004. Aces-sado em 17 de outubro de 2016.

TAVARES, Pedro Heliodoro. Flusser com Freud: Tradução, Sujeito e Cultura. Pandaemonium Germanicum [online]. 2014, vol.17, n.23, pp.223-239. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1982-883720140001000 14&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1414-1906. http://dx.doi.org/10.1590/S1982-8837201400 0100223. Acessado em 17 de outubro de 2016.

TAVARES, Pedro Heliodoro. Versões de Freud – Breve panorama crítico das traduções de sua obra. Rio de Janeiro, 7Letras, 2011.

Publicado
2016-12-20
Como Citar
TAVARES, P. H. O percurso de línguas da Psicanálise e seus avanços rumo ao oriente – Do alemão de Freud ao chinês de nossos dias. Revista Graphos, v. 18, n. 2, p. 43-55, 20 dez. 2016.