Alfredo Gallis, o pornógrafo esquecido

  • Aline Moreira DUARTE UERJ
Palavras-chave: Século XIX, Literatura pornográfica, Alfredo Gallis

Resumo

No Brasil do final do século XIX, a partir de 1880, ocorre um crescimento expressivo do interesse do público e dos livreiros por obras licenciosas. Para atender a essa demanda, muitos escritores aderiram à moda, produzindo narrativas que, sob a voga cientificista do naturalismo, colocavam o corpo e o desejo sexual em questão a fim de desmascarar as hipocrisias da sociedade burguesa. O escritor naturalista português Joaquim Alfredo Gallis (1859-1910) foi esquecido pela historiografia literária justamente por ter se “manchado” com a literatura pornográfica. Nesse estudo, além de apresentar o ilustre, porém esquecido, Alfredo Gallis, pretendemos produzir um conhecimento novo a respeito da literatura licenciosa do final do século XIX, tomando como objeto de estudo um dos autores pornográficos mais conhecidos do período.

Referências

ALEXANDRIAN. História da literatura erótica. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: HUCITEC; Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1987.

BOURDIEU, Pierre. Por uma ciência das obras. In: ______. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996. p. 53-89.

DUARTE, Aline Moreira. Naturalismo, histeria e pornografia em Mártires da virgindade, de Alfredo Gallis. Soletras, n. 30, p. 139-157, jul/dez. 2015.

EL FAR, Alessandra. Páginas de sensação: literatura popular e pornográfica no Rio de Janeiro (1870-1924). São Paulo: Cia. das Letras, 2004.

MENDES, Leonardo. Biblioteca picante: o naturalismo como produto erótico. In: HELENA, Lucia; OLIVEIRA, Paulo César de (Orgs.). Literatura, arte e mercado: XI Seminário Nação- Invenção. Niterói, RJ: Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense, 2014, p. 83- 95.

______. Livros para Homens: sucessos pornográficos no Brasil no final do século XIX. Cadernos do IL, Porto Alegre, n.º 53, janeiro de 2017. p. 173-191.

MOISÉS, Massaud. A literatura portuguesa em perspectiva, v. 3. São Paulo: Atlas, 1994.

PIMENTEL, Alberto Figueiredo. O aborto. Organização de Leonardo Mendes e Pedro Paulo Garcia Ferreira Catharina. 1. ed. Rio de Janeiro: 7Letras, 2015.

SANTANA, Maria Helena. Pornografia no fim do século: os romances de Alfredo Gallis. Portuguese Literary and Cultural Studies, n. 12, 2004, p. 235-248.

VENTURA, Antônio. Rabelais, isto é, Alfredo Gallis, o pornógrafo. In: GALLIS, Alfredo. Aventuras galantes. Lisboa: Edições Tinta da China, 2011, p. 167-174.

Publicado
2017-12-26
Como Citar
DUARTE, A. M. Alfredo Gallis, o pornógrafo esquecido. Revista Graphos, v. 19, n. 2, p. 7-20, 26 dez. 2017.
Seção
Artigos do Dossiê