Efeitos da verbalização do pensamento em voz alta sobre a velocidade, a revisão e a segmentação na tradução

  • Arnt Lykke JAKOBSEN Copenhagen Business School
  • Traduzido por Isabelle Fernandes de OLIVEIRA UFPB
Palavras-chave: Verbalização do pensamento em voz alta, Velocidade de tradução, Revisão na tradução, Segmentação na tradução

Resumo

Quatro estudantes de mestrado em tradução e cinco tradutores expertos traduziram dois textos do dinamarquês para o inglês e dois textos do inglês para o dinamarquês. Em cada uma das direções, uma tarefa de tradução foi realizada concomitantemente à verbalização do pensamento em voz alta (do inglês, think aloud protocol, ou TAP) e a outra foi executada sem essa verbalização. As traduções foram realizadas no computador, e todos os acionamentos de teclas e mouse foram registrados utilizando-se o software Translog. O objetivo foi determinar que tipo de influência, existindo alguma, a verbalização do pensamento em voz alta poderia exercer sobre a velocidade da tradução, sobre a quantidade de texto revisado e sobre a segmentação determinada por pausas. Esperava-se que a verbalização do pensamento em voz alta tornasse o processo de tradução mais lento, mas que não afetasse a revisão ou a segmentação. Constataram-se, em ambos os grupos, efeitos significativos sobre a velocidade, com retardo do processo tradutório em aproximadamente 25%. Não se encontrou efeito significativo sobre a revisão. Entretanto, contrariando as expectativas, observaram-se efeitos significativos sobre a segmentação: a verbalização concomitante do pensamento em voz alta forçou os dois grupos de tradutores a processarem os textos em segmentos menores.

Referências

ALVES, F. A triangulação como opção metodológica em pesquisas empírico-experimentais em tradução. In: PAGANO, A. (Ed.), Metodologias de pesquisa em tradução. Belo Horizonte: FALE-UFMG, 2001, p. 69-92.

BADDELEY, A. D.; GATHERCOLE, S. E.; PAPAGNO, C. The phonological loop as a language learning device. Psychological Review, v. 105, n. 1, p. 158-173, 1998.

BUTTERWORTH, B. Evidence from pauses in speech. In: BUTTERWORTH, B. (Ed.). Language production: Londres: Academic Press, 1980. v. 1. p. 155-176.

DANKS, J. S.; SHREVE, G. N.; FOUNTAIN, S. B.; MCBEATH, M. K. (Ed.). Cognitive processes in translation and interpreting. Londres: Sage, 1997.

ERICSSON, K. A.; SIMON, H. A. Protocol analysis: verbal reports as data. 2. ed. Cambridge: MIT Press, 1993[1984].

GOLDMAN-EISLER, F. Pauses, clauses, sentences. Language and Speech, v. 15, p.103-113, 1972.

HANSEN, G. (Ed.). Probing the process in translation: methods and results. Copenhagen: Samfundslitteratur, 1999.

HANSEN, G. (Ed.). Empirical translation studies: process and product. Copenhagen: Samfundslitteratur, 2002.

JAKOBSEN, A. L. Logging time delay in translation. In: HANSEN, G. (Ed.). LSP texts and the process of translation. Copenhagen: Copenhagen Business School, 1998. p. 73-101.

JAKOBSEN, A. L.; SCHOU, L. Translog documentation. In: HANSEN, G. (Ed.). Probing the process in translation: methods and results. Copenhagen: Samfundslitteratur, 1999. p. 1- 36. Appendix 1.

JAKOBSEN, A. L. Logging target text production with Translog. In: HANSEN, G (Ed.), Probing the process in translation: methods and results. Copenhagen: Samfundslitteratur, 1999. p. 9-20.

JAKOBSEN, A. L. Translation drafting by professional translators and by translation students. In: HANSEN, G. (Ed.). Empirical translation studies: process and product Copenhagen: Samfundslitteratur, 2002. p. 191-204. JÄÄSKELÄINEN, R. Tapping the process: an explorative study of the cognitive and affective factors involved in translating. Joensuu: Joensuun yliopisto, 1999.

KRINGS, H. P. Repairing texts: empirical investigations of machine translation post-editing processes. Tradução de Geoffrey S. Koby, George M. Shreve, Katja Mischerikow e Sarah Litzer. Kent, Ohio: Kent State University Press, 2001.

LORENZO, M. P. Apuntes para una discusión sobre métodos de estudio del proceso de traducción. In: HANSEN, G. (Ed.), Probing the process in translation: methods and results. Copenhagen: Samfundslitteratur, 1999. p. 21-42.

MOSSOP, B. Revising and editing for translators. Manchester: St. Jerome, 2001.

SCHILPEROORD, J. It’s about time: temporal aspects of cognitive processes in text production. Amsterdã: Rodopi, 1996.

TIRKKONEN-CONDIT, S.; JÄÄSKELÄINEN, R. (Ed.). Tapping and mapping the processes of translation and interpreting: outlooks on empirical research. Amsterdã: John Benjamins, 2000.

Publicado
2018-05-30
Como Citar
JAKOBSEN, A. L.; OLIVEIRA, T. POR I. F. DE. Efeitos da verbalização do pensamento em voz alta sobre a velocidade, a revisão e a segmentação na tradução. Revista Graphos, p. 47-77, 30 maio 2018.