MENSAGEM NUMA GARRAFA VIRTUAL: PODE HAVER DIÁLOGO ENTRE O TRADUTOR E O TEÓRICO DA TRADUÇÃO?

  • Denilson Amade Sousa
  • Viviane Veras

Resumo

Este trabalho tem como objetivo discutir a influência de conhecimentos teóricos em manifestações de tradutores e teóricos da tradução enviadas em forma de mensagens no interior de uma comunidade virtual chamada Comunidade Virtual da Linguagem (CVL). A análise de tais mensagens, postadas numa discussão acerca do papel do tradutor no Brasil, incita-nos a refletir sobre o discurso dos membros da CVL, na sua maioria acadêmicos e alunos da área da linguagem (lingüística, lingüística aplicada, tradução) e, dentre esses, pessoas que trabalham, profissionalmente ou não, como tradutores. Esse discurso exibe um teor bastante sindicalista, ao mesmo tempo em que demonstra uma grande falta de capacidade dos acadêmicos de evocar questões teóricas (neste caso, BERMAN, 1985/2007; VENUTI, 1995, 1998/2002) relevantes para a discussão que realizam sobre e entre si mesmos. Essas questões teóricas envolvem, entre outras coisas, uma reflexão acerca da dicotomia estrangeirização/domesticação nas práticas tradutórias no Brasil. PALAVRAS-CHAVE: teoria da tradução, estrangeirização, domesticação.
Como Citar
SOUSA, D. A.; VERAS, V. MENSAGEM NUMA GARRAFA VIRTUAL: PODE HAVER DIÁLOGO ENTRE O TRADUTOR E O TEÓRICO DA TRADUÇÃO?. Revista Graphos, v. 11, n. 2, 11.