A LEITURA LITERÁRIA NA SALA DE AULA: ESTRATÉGIAS DE LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO

  • Joice Ribeiro Machado da Silva UFU

Resumo

Revisitar o ensino da leitura em turmas de alfabetização tem sido nosso tema de pesquisa recentemente. Nesse sentido, temos buscado romper com algumas práticas equivocadas para se ensinar a ler, como, por exemplo, as tradicionais questões de interpretação e a decodificação do texto. Para isso, nos pautamos numa perspectiva que considera o leitor como um sujeito ativo, que interage, num processo dialógico, com o texto e o contexto. Encontramos em nossos estudos duas referências importantes que nos auxiliam nessa jornada, a saber: as estratégias de leitura (HARVEY, GOUDVIS, 2007) e a descoberta de texto (BAJARD, 2012). O foco deste artigo é apresentar o trabalho desenvolvido com as estratégias de leitura em uma turma de 1º ano do Ensino Fundamental no ano de 2018. Utilizando prioritariamente a literatura infantil, criamos, junto com as crianças da turma, um caderno de registro com as atividades que envolvem as estratégias de leitura, batizadas por elas de ‘Meu álbum literário”, e fomos, ao longo do ano letivo, arquivando os gráficos organizadores utilizados em cada estratégia ensinada. Acreditamos que, para consolidar o processo de alfabetização, faz-se necessário incentivar a leitura de literatura infantil e criar oportunidades metodológicas para que as crianças aprendam a ler literatura. Desse modo, encontramos na proposta das estratégias de leitura uma possibilidade eficaz para explorar a literatura infantil em sala de aula. Os resultados apontam que a construção do álbum permitiu destaque aos gráficos organizadores e à participação das crianças durante a elaboração do material. Além disso, tornou-se um material de apoio para futuras análises de como os aprendizes estão lidando com a literatura e como algumas estratégias se consolidaram durante a sistematização do trabalho. Palavras-chave: Leitura. Estratégia de Leitura. Literatura infantil. Alfabetização. LITERARY READING IN THE CLASSROOM: READING STRATEGIES AND THE LITERACY PROCESS This paper problematizes research data carried out with the objective of discussing schooling of different genres of texts used in fifth and sixth years of elementary school (ROSSI, 2010), as observed in public-school teachers’ practices. Discussions are anchored on schooling of fables and a literary chronicle, departing from the concept of schooling itself, going through the problematization of the term schooling of literature to, finally, approach classroom practices. Discussion of the concepts of schooling and schooling of literature are based on Soares (2003, 2006), Saraiva (2001) Arena (2010), Zilbermann (1987) and Miguez (2003) and Batista (2004). Schooling is here understood as the result of the submission of a certain knowledge to school teaching. Literature schooling is understood as Miguez (2003), who argues that reading of literature should not be understood and manipulated as a school task, but as an aesthetic experience that manifests itself in the pleasure of seeing, reading and discovering the world through literature. Results show what Soares considers inadequate schooling of literature by the school, when reading is neither directed to the expression resources used nor to the perception of the aesthetic use of the language nor to the comprehension of the world view and the context in which they are inserted. Keywords: Children's literature. Schooling. School Practices. Reading. Teaching

Biografia do Autor

Joice Ribeiro Machado da Silva, UFU
Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) Júlio de Mesquita Filho. Docente da Escola de Educação Básica (ESEBA) da Universidade Federal de Uberlândia
Publicado
2019-07-04