Estratégia inferencial para ler o livro ilustrado

  • Márcia Tavares UFCG
Palavras-chave: Livro ilustrado, Estratégias de leitura, Inferência, Odilon Moraes

Resumo

De maneira geral a leitura de imagens no livro ilustrado ainda está relacionada à primazia da palavra e aos modos de ler em um conjunto de interdependências entre o texto escrito e as imagens. Para verificar a construção de sentidos advinda dessa relação, apresentamos a análise do livro Lá e aqui (2015), de Carolyna Moreyra, ilustrado por Odilon Moraes. Destacamos, a partir do espaço gráfico e narrativo, uma proposta de leitura permeada pelo uso das estratégias centradas em inferências, e ainda verificamos quais elementos plásticos estão dispostos no projeto gráfico e na composição do diálogo entre texto e imagem. Esses aspectos foram explorados seguindo as diretrizes de Oliveira (2008), que delimita uma primeira leitura estrutural como porta de entrada metodológica para a leitura de imagens. Para o estudo da aplicação das estratégias de inferência, tomamos Girotto e Souza (2011) e utilizamos os pressupostos inseridos na prática de leitura das palavras e na transposição de conceitos para a leitura das ilustrações do livro infantil.

Biografia do Autor

Márcia Tavares, UFCG
Doutora em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Professora do Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino e do Curso de Letras Língua Portuguesa na Universidade Federal de Campina Grande – Paraíba.

Referências

CAMARGO, Luís. A criança e as artes plásticas. In: ZILBERMAN, Regina (org.). A produção cultural para a criança. Porto Alegre: Mercado Aberto. 1982.

_____. A ilustração do livro infantil. Belo Horizonte: Editora Lê, 1997.

COLOMER, Teresa. Andar entre livros: a leitura literária na escola. Tradução de Laura Sandroni. São Paulo: Global, 2007.

FARIA, Maria Alice. Como usar a literatura infantil na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2004.

GIROTTO, Cinthia, SOUZA, Renata Junqueira de. Ler e compreender: estratégias de leitura. São Paulo: Mercado das Letras, 2011. GÓES, Lucia Pimentel. Olhar de descoberta: proposta analítica de livros que concentram várias linguagens. Paulinas: São Paulo, 2003.

LAJOLO, Marisa, ZILBERMAN, Regina. Literatura infantil brasileira: uma nova outra história. São Paulo: PUCPress, 2017.

LAJOLO, Marisa, ZILBERMAN, Regina. Literatura infantil brasileira: história e histórias. São Paulo: Ática, 1991.

LINDEN, Sophie Van der. Para ler o livro ilustrado. Tradução de Dorothée de Bruchard. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

MOREYRA, Carolyna, MORAES, Odilon. Lá e aqui. São Paulo: Zahar, 2015.

NIKOLAVEJA, Maria, SCOTT, Carole. Livro ilustrado: palavras e imagens. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

PAIVA, Aparecida et al. Literatura na infância: imagens e palavras. UFMG, Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita, 2008. Brasília Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica; Belo Horizonte.

RAMOS, Flávia B., PANOZZO, Neiva S.P. Entre a ilustração e a palavra: buscando pontos de ancoragem. Espéculo. Revista de estudios literarios. Universidad Complutense de Madrid, 2004. Disponível em: <http://www.ucm.es/info/especulo/numero26/ima_infa.html>. Acesso em 23 de novembro de 2018.

RAMOS, Graça. A imagem nos livros infantis - caminhos para ler o texto visual. São Paulo: Autêntica, 2011.

SALISBURY, Martin, STYLES, Morag. Livro infantil ilustrado: a arte da narrativa visual. São Paulo: Rosari, 2013.

SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. 6. ed. Tradução de Cláudia Schilling. Porto Alegre: Artmed, 1998.

WERNECK, Regina Iolanda. O problema da ilustração no livro infantil. In: KHEDE, Sonia Salomão (org). Literatura Infantil: um gênero polêmico. Rio de Janeiro: Vozes, 1983.

Publicado
2019-07-04
Como Citar
TAVARES, M. Estratégia inferencial para ler o livro ilustrado. Revista Graphos, v. 21, n. 1, p. 176-196, 4 jul. 2019.
Seção
Artigos do Dossiê