Uma lógica para os sentidos: entrevista com Fernando Bonassi

  • Rita de Cássia Silva Dionísio Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Maria Zilda da Cunha Universidade de São Paulo - USP
Palavras-chave: Fernando Bonassi, Literatura Infantojuvenil, Contemporaneidade, Entrevista

Resumo

Nascido em São Paulo (1962), Fernando Bonassi destaca-se como contista, roteirista, dramaturgo, romancista e cineasta premiado internacionalmente. Várias de suas produções estão publicadas em antologias brasileiras e estrangeiras. Como autor de literatura e como produtor cinematográfico, reconhecido pela crítica pelo poder corrosivo e cáustico de sua linguagem artística, Bonassi demonstra especiais habilidades comunicativas de expressar ficcionalmente faces do mundo contemporâneo tão marcado por consumismo, violência e instantaneidades. Seus livros 100 histórias colhidas da rua (Editora Scritta, 1996) e Passaporte (Editora Cosac & Naify, 2001) podem, certamente, constar entre as melhores coletâneas de micronarrativas publicadas no Brasil nas últimas décadas. Neste último, por exemplo, tendo o passaporte como metonímia, narradores múltiplos empreendem uma flânerie por espaços diversos do mundo, como se percorressem labirintos de uma cidade única que apenas muda de nome, com fronteiras imaginárias: o que se representa, nessas breves crônicas do cotidiano, é o humano, em sua contundente realidade de derrisão utópica. Para o cinema, Bonassi produziu roteiros de Os matadores, Carandiru, Garotas do ABC, Cazuza, Através da janela, Castelo Rá Tim Bum; destaca-se, também, com as produções teatrais de Preso entre ferragens, Três cigarros e a Última Lasanha, além de ter escrito e dirigido o monólogo O incrível menino na fotografia – entre outros textos. Entre suas produções destinadas ao público infantil e juvenil, incluem-se os títulos: Uma carta para Deus (Formato, 1997), O pequeno fascista (Cosac Naify, 2005), Diário de guerra de São Paulo (Publifolha, 2007) e Montanha-russa (Cosac Naify, 2008). Na entrevista a seguir, o autor fala de sua produção destinada ao público infantil e juvenil: sua sensibilidade e atenção para a contemporaneidade e a crueza das relações sociais que afetam a infância e a juventude reverberam na estética de Bonassi, trazendo provocações intensas ao leitor, oferecendo, de certo modo, uma espécie de lógica potente para compreensão dos sentidos.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Silva Dionísio Santos, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
Rita de Cássia Silva Dionísio Santos é doutora em Literatura (UnB), com pós-doutorado na USP. Professora na UNIMONTES. Integra os Grupos de Pesquisas: GEL/UNIMONTES, GT Vertentes do Insólito Ficcional (ANPOLL), A narrativa ficcional para crianças e jovens: teorias e práticas (UERJ/CNPq) e Produções Literárias e Culturais para Crianças e Jovens (FFLCH-USP/CNPq). Coordenadora Institucional do PIBID/UNIMONTES (bolsista CAPES). Membro da equipe de Coordenação Pedagógica do Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD) 2018 – Literário (SEB/MEC). Atua principalmente nos seguintes temas: Literatura infantil e juvenil, Leitura do texto literário, Formação do leitor, Literatura, ensino e formação docente e Estudos Comparados.
Maria Zilda da Cunha, Universidade de São Paulo - USP
Maria Zilda da Cunha é professora doutora na Universidade de São Paulo nas áreas de Estudos Comparados de Língua Portuguesa e de Literatura Infantil e Juvenil: linguagens do Imaginário I,II, III, IV. É graduada em Pedagogia, Letras e Psicologia, possui pós-graduação em Psicopedagogia com especialização em Psicomotricidade; é Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC/SP), Doutora em Letras (USP); Pós-doutora em Estudos Portugueses e Lusófonos no Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho, Portugal; Pós-Doutora em Ciências, Educação e Humanidades pela UERJ. Tem publicações voltadas para estudos de aquisição de linguagem escrita e literatura para crianças e jovens. Pesquisadora do CNPQ. É líder do grupo de Pesquisa: Produções Literárias e Culturais para Crianças e Jovens, vinculado à Universidade de São Paulo.

Referências

BONASSI, Fernando. Montanha-russa. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

MAFFESOLI, Michel. Elogio da razão sensível. Petrópolis: Vozes, 1998.

Publicado
2020-01-30
Como Citar
DIONÍSIO SANTOS, R. DE C. S.; CUNHA, M. Z. DA. Uma lógica para os sentidos: entrevista com Fernando Bonassi. Revista Graphos, v. 21, n. 3, p. 204-212, 30 jan. 2020.