A SINTAXE DOS VERBOS MODAIS: UM PANORAMA DE ABORDAGENS

Resumo

Este trabalho visa apresentar algumas das principais ideias discutidas na literatura linguística para o português brasileiro (PB) a respeito do comportamento sintático dos verbos modais, sobretudo, dos epistêmicos do ponto de vista de várias abordagens formais. Este estudo também pretende fornecer um panorama das discussões sobre o assunto, bem como apresentar alguns dos problemas que um estudo sobre a sintaxe dos modais deve enfrentar.

Biografia do Autor

Maurício Resende, Universidade Federal do Paraná
Bacharel em Linguística e Licenciado em Letras Português (2013) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), atualmente faz Mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Paraná (UFPR); possui experiência na área de revisão de texto, no ensino de português como língua estrangeira e no ensino de latim. Além disso, tem interesse por teoria e análise linguística e por ensino de línguas; possui pesquisa em interfaces da Linguística com ênfase em verbos modais e em processos de nominalização.

Referências

BÁRBARA, Leila. Sintaxe transformacional do modo verbal. São Paulo: Ática, 1975.

BURCKHARDT, Ingo. Os modais poder e dever: critérios de auxiliaridade. 1977. 93f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Departamento de Língua e Literaturas Vernáculas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

BURZIO, Luigi. Italian syntax. Dordrecht: Reidel, 1986.

FERREIRA, Núbia Saraiva. Auxiliares: uma subclasse dos verbos de reestruturação. 2009. 192f. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

FIGUEIREDO SILVA, Maria Cristina. A posição sujeito no português brasileiro: frases finitas e infinitivas. Campinas: Unicamp, 1996.

HACQUARD, Valentine. Modality. In: MAIERBORN, Claudia; VON HEUSINGER, Klaus; PORTNER, Paul (Ed.). Semantics: an international handbook of natural language meaning. Berlin: Walter de Gruyter, 2009.

LOBATO, Maria Lucia Pinheiro. Os verbos auxiliares em português contemporâneo: critérios de auxiliaridade. In: LOBATO, Maria Lucia Pinheiro et al. Análises linguísticas. Petrópolis: Vozes, 1975. p. 27-91.

LUNGUINHO, Marcus Vinícius da Silva. A ordem dos verbos auxiliares: uma análise em termos de traços. 2005. 180f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Letras, Universidade de Brasília, Brasília, 2005.

MIOTO, Carlos; FIGUEIREDO SILVA, Maria Cristina; VASCONCELLOS LOPES, Ruth Elisabeth. Novo manual de sintaxe. São Paulo: Contexto, 2013.

MIRANDA, Zoé Beatriz de Almeida Gomes. Aspectos do comportamento sintático dos modais ‘dever’ e ‘poder’. 1975. 119f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1975.

PONTES, Eunice. Verbos auxiliares em português. Petrópolis: Vozes, 1973.

RECH, Núbia Ferreira. Hierarquia dos núcleos funcionais no português brasileiro. Anpoll, Florianópolis, n. 31, v. 1. p. 207-225, 2011.

______. O processo de auxiliaridade no português brasileiro: uma análise dos modais ‘poder’, ‘dever’ e ‘ter que’. Working papers em Linguística, Florianópolis, n. 2, p. 37-51, 2010.

RESENDE, Maurício Sartori. Alguns diferenças semânticas entre dever e poder. Versalete, Curitiba, v. 3, n. 5, p. 36-50, 2015.

______. Os verbos modais epistêmicos no português brasileiro: uma interface sintaxe-semântica. 2013, 77p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras Português, bacharel em Linguística) – Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.

STOWELL, Tim. Tense and modals. In: GUÉRON, J; LECARME, J (Ed.). The syntax of time. Cambridge: MIT PRESS, 2004. p. 621-636.

Publicado
2016-05-04
Como Citar
RESENDE, M. A SINTAXE DOS VERBOS MODAIS: UM PANORAMA DE ABORDAGENS. Letras & Ideias, v. 1, n. 1, p. 86-100, 4 maio 2016.
Seção
Artigos