“Diferente dos seus amigos, eu acho você beautiful e kind”:

literatura infanto-juvenil e o ensino de língua inglesa em uma escola de idiomas em Santarém

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.63998

Palavras-chave:

Literatura Infantojuvenil. Língua Inglesa. Ensino.

Resumo

A literatura no campo da educação vislumbra infinitas possibilidades que transmitam experiências, conhecimentos, culturas e novas identidades, oferecendo ao aluno diferentes vocabulários e estruturas gramaticais que proporcionam o desenvolvimento da oralidade, escrita e das reflexões acerca do mundo, seja ele real ou o presente nos livros. Assim, este artigo buscou por meio de uma pesquisa qualitativa analisar e refletir o uso da literatura infantojuvenil nas aulas da língua inglesa em uma escola de idiomas de Santarém-PA, especificamente usando a obra de Raquel Jaramillo Palacio, “Wonder”, em uma tentativa de diálogo entre ensino da língua e literatura. Os dados foram gerados a partir de questionários que objetivavam ter acesso às preferências linguísticas e literárias dos alunos, atividades orais e escritas, e por fim um questionário reflexivo acerca da experiência dos alunos com as aulas. Os resultados mostram que a literatura infanto juvenil pode ser usada nas aulas de inglês como forma de motivar o aluno a ler, escrever e refletir o ambiente social e escolar no qual está inserido, contribuindo na ampliação de suas curiosidades e interesses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Pedroso Vasconcelos , UFOPA

Graduada em Letras - Portugues e Inglês pela UFOPA

Referências

AEBERSOLD, J.A.; FIELD, Mary Lee. From Reader to Reading Teacher. Cambridge Language Education, 1997.

ARAGÃO, Rodrigo Camargo; DIAS, Iky Anne. Facebook e emoções de estudantes no uso do inglês. Redes sociais e ensino de línguas: o que temos de aprender? 1. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2016, p. 111-121.

AZEVEDO, Ricardo. Formação de leitores e razões para a Literatura. In: SOUZA, Renata Junqueira de (Org.). Caminhos para a formação do leitor. São Paulo: DCL, 2004.

BATTISTELLA, T. R. (2016). Os efeitos das emoções no ensino-aprendizagem de inglês e na formação do futuro professor: uma análise com base no feedback corretivo oral. Revista Horizontes De Linguística Aplicada, 14(2).Acesso em: 29 mai. 2022. <https://doi.org/10.26512/rhla.v14i2.1410>

BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos contos de fadas. 16.ed. Rio de Janeiro:Paz e Terra, 2002.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC. 2018. Disponível em:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site. pdf.>.

BRITISH COUNCIL. O Ensino de Inglês na Educação Pública Brasileira; Instituto de Pesquisas Plano CDE, 2015. BRITISH Council. Brasil.

CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: Vários Escritos. 5.ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2011.

COMPAGNON, Antoine. Literatura para quê? Tradução de Laura Taddei Brandini. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

COELHO, N, N. Literatura Infantil: teoria, análise e didática. São Paulo: Moderna, 2000.

COELHO, N, N. Literatura e Linguagem. Rio de Janeiro: José Olympio, 1974.

CORCHS, M. O Uso de Textos Literários no Ensino de Língua Inglesa. 2006. 97 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE. 2006.

DIAS, Léa Costa Santana. A literatura infanto-juvenil contra o bullying: estratégias e planos de ação. CONHECIMENTO PRÁTICO LÍNGUA PORTUGUESA, v. 29, p. 10-13, 2011.

FERREIRA, Vanessa Leão Franchi. Literatura Infantil: Contribuições para aquisição e desenvolvimento da linguagem oral das crianças bem pequenas. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós- Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Nove de Julho, São Paulo, SP, Brasil, 2021

FERRO, J. Introdução às literaturas de língua inglesa. 2. ed. Curitiba: Intersaberes, 2015.

FREIRE, O. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Cortez, 1988.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 3, p. 20-29, 1995.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas S. A., 2003.

LIMA, C. V. A. Experiências de indisciplina e aprendizagem: um estudo de caso em uma turma de um curso livre de inglês. 2009. 168f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009

MARTINS, I. A literatura no EM: quais os desafios do professor? In: BUNZEN, C.; MOTA, F. LITERATURA E(M) ENSINO DE LÍNGUA ESTRANGEIRA. fólio - Revista de Letras, [S. l.], v. 2, n. 1, 2010. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/3628. Acesso em: 29 mai. 2022.

MOTTA-ROTH, D. O processamento de sentido na leitura de textos em inglês como língua estrangeira. Letras, vol. 1, 1991, p. 92-102.

. Parâmetros Curriculares Nacionais: Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental (Língua Estrangeira). Brasília, 1998. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pcn_estrangeira.pdf>

ROSENTHAL, Gabriele. Pesquisa social interpretativa: uma introdução. Tradução de Tomás da Costa: 5. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2014.

SILVA, Ana Araújo. Literatura para Bebês. Pátio, São Paulo, 1993.

TODOROV, Tzevetan. A Literatura em perigo. Rio de Janeiro: DIFEL, 2009.

ZILBERMAN, R. A Literatura Infantil na Escola. 11ª Edição. São Paulo: Global, 2003.

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

SOUZA HALL, S.; SARAH PEDROSO VASCONCELOS. “Diferente dos seus amigos, eu acho você beautiful e kind”:: literatura infanto-juvenil e o ensino de língua inglesa em uma escola de idiomas em Santarém. Revista Temas em Educação, [S. l.], v. 32, n. 1, p. e-rte321202312, 2022. DOI: 10.22478/ufpb.2359-7003.2023v32n1.63998. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/63998. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático - Literatura Infantil