UM TESOURO ETÍLICO: BEBIDAS, IDENTIDADES E CATEGORIAS SOCIAIS NA AMAZÔNIA PORTUGUESA DO SÉCULO XVIII

Autores

  • João Azevedo Fernandes

Resumo

A interiorização da colonização portuguesa no Brasil foi marcada, tal como ocorreu em outros contextos coloniais, pela construção de um tipo de discurso que chamarei de discurso colonial, o qual se caracteriza pela separação entre colonizadores e colonizados a partir de uma série de distinções e contraposições que giram em torno da dicotomia civilizado / bárbaro. Um campo privilegiado para a construção do discurso colonial é o das práticas alimentares e etílicas, as quais organizam as categorias sociais e definem o pertencimento de indivíduos e grupos àquelas categorias. No caso da Amazônia Portuguesa do século XVIII dispomos de alguns relatos e descrições extremamente ricos quanto aos costumes etílicos dos povos indígenas e das populações pobres da região, os quais nos permitem um olhar privilegiado sobre a construção do discurso colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-12-31

Como Citar

FERNANDES, J. A. UM TESOURO ETÍLICO: BEBIDAS, IDENTIDADES E CATEGORIAS SOCIAIS NA AMAZÔNIA PORTUGUESA DO SÉCULO XVIII. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 27, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/16425. Acesso em: 28 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: História e Práticas Cotidianas