AÇÚCAR: UMA MERCADORIA NO CIRCUITO MERCANTIL

Autores

  • Denise Aparecida Soares de Moura

Resumo

Este artigo pretende mostrar que o açúcar produzido na Capitania de São Paulo entre os anos de 1798 e 1822 também era comercializado nas províncias do Rio da Prata. Este comércio do produto naquela região antecedeu a abertura dos portos do Brasil às nações amigas em 1808 e formou um circuito mercantil luso-brasileiro platino, especialmente depois daquela data. Vários fatores contribuíram para este processo, como o pequeno controle das autoridades metropolitanas sobre os portos periféricos da costa do Brasil, as altas safras do produto ou a troca de benefícios e favores entre autoridades régias na capitania e negociantes e produtores locais. As conclusões deste texto atribuem um outro status ao açúcar na História da projeção econômica da Capitania de São Paulo a partir dos anos de 1790, para a reflexão sobre uma dada relação econômica inter-regional antes mais estudada para o caso do século XVII e para a compreensão das novas demandas econômicas no atlântico sul na época da dissolução do sistema colonial moderno. Estas conclusões estão apoiadas em pesquisa realizada em documentação administrativa do Brasil e de Montevidéu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-31

Como Citar

DE MOURA, D. A. S. AÇÚCAR: UMA MERCADORIA NO CIRCUITO MERCANTIL. Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 29, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/19818. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê História e História Econômica