A FORMAÇÃO FAMILIAR DO COMPLEXO CAFEEIRO: A REDE FAMILIAR E OS INVESTIMENTOS DOS LACERDA FRANCO NA ECONOMIA PAULISTA (1847-1893)

Autores

  • Gustavo Pereira da Silva

Resumo

A historiografia econômica aponta a formação do complexo cafeeiro paulista na segunda metade do século XIX como elemento-chave na ascensão econômica de São Paulo no período. O complexo tinha a produção cafeeira no centro e, paralelamente, atividades que viabilizavam àquela produção: ferrovias, casas comissárias, bancos, indústrias, serviços públicos, empreendimentos comandados pelos membros do grande capital cafeeiro. Todavia, há uma lacuna na caracterização destes indivíduos que se dá pela escassez de informações que os inventários fornecem acerca dos processos de enriquecimento. O presente trabalho busca evidenciar a estratégia de enriquecimento dos Lacerda Franco, um dos grupos familiares mais importantes a atuar na economia paulista no XIX, que se pautou pela formação de uma rede familiar, que se expressava pela ativação dos vínculos entre os parentes para a escolha de cônjuges e a formação de empresas. Os familiares se capitalizavam internamente através da realocação da riqueza anteriormente acumulada e, dessa forma, tinham condições de empreender. Estes apontamentos se baseiam na análise dos investimentos da família Lacerda Franco na economia paulista da segunda metade do século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-31

Como Citar

DA SILVA, G. P. A FORMAÇÃO FAMILIAR DO COMPLEXO CAFEEIRO: A REDE FAMILIAR E OS INVESTIMENTOS DOS LACERDA FRANCO NA ECONOMIA PAULISTA (1847-1893). Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 29, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/19821. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê História e História Econômica