ESCRAVOS E EX-ESCRAVOS NA PECUÁRIA: A CENTRALIDADE DA ESCRAVIDÃO NA ECONOMIA RURAL (RIO GRANDE DO SUL, SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX)

Autores

  • Carina Martiny UFRGS

Palavras-chave:

Pecuária, Escravidão, Trabalho Livre, Rio Grande do Sul.

Resumo

Esta artigo trata da presença de trabalhadores escravos na produção pecuária no Rio Grande do Sul, na segunda metade do século XIX. A análise foca nos escravos da família de Júlio de Castilhos, importante político republicano brasileiro, a qual residia em São Martinho, distrito de Cruz Alta (RS). A família Castilhos tinha na produção pecuária sua principal atividade econômica, primeiramente voltada à venda de muares à região sudeste do Brasil e, posteriormente, nas décadas finais do século XIX, dedicada à criação de vacuns vendidos à produção charqueadora. A análise da documentação familiar demonstra a centralidade do trabalho escravo nas propriedades dos Castilhos, sendo que estes constituíam o núcleo fixo de trabalhadores. Com o uso conjunto de fontes documentais variadas, como inventários, registros batismais, periódicos e correspondência familiar, a análise apresenta o papel desempenhado pelo trabalho escravo na dinâmica produtiva, discute sua importância para os negócios da família e caracteriza a permanência de alguns destes trabalhadores nas propriedades após a abolição da escravidão. Demonstra que foram as atividades pecuárias da família, que ocorriam via trabalho cativo, que garantiram não somente a manutenção dos negócios rurais como também se tornaram importante fonte de renda para diversos outros investimentos familiares, ligados ao mundo urbano. Evidencia a relação entre a postura abolicionista da família com a posição política ligada ao movimento republicano de um de seus membros, Júlio de Castilhos. Demonstra também que ex-escravos permaneceram nas propriedades da família após a abolição, na condição de trabalhadores ligados ao trabalho doméstico e campeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carina Martiny, UFRGS

Doutoranda em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Bolsista Capes

Downloads

Publicado

2015-12-31

Como Citar

MARTINY, C. ESCRAVOS E EX-ESCRAVOS NA PECUÁRIA: A CENTRALIDADE DA ESCRAVIDÃO NA ECONOMIA RURAL (RIO GRANDE DO SUL, SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX). Sæculum – Revista de História, [S. l.], n. 33, p. 243–258, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/27725. Acesso em: 16 jan. 2022.