PROTAGONISMOS, MILITÂNCIAS E QUERELAS INSTRUCIONAIS NA TRINCHEIRA RELIGIOSA: COMBATES PELA ESCOLA CATÓLICA NA PARAHYBA DO NORTE (1894-1922)

Autores

  • Ramsés Nunes e Silva UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2017v36n36.28247

Resumo

A construção de militâncias intelectuais, especialmente as que se apresentavam a partir de novos significados discursivos para a escola contemporânea, se deu a partir de disputas fomentadas na transição dos séculos XIX e XX. Nesse sentido, todo um cabedal de protagonismos do qual a Igreja católica se ressentia, estava assentado em verdadeira guerra de modelos instrucionais. No âmbito de uma maior presença da secularização social e cultural, se fez apresentar como instrumental de afirmação da Igreja, a temática da escola confessional. Em muitas dioceses espalhadas pelo mundo, encíclicas papais, lançavam propostas educacionais nas quais instituições católicas eram apontadas como solução para um mundo cada caracterizado como indiferente, mundano e laico. Nosso artigo, partindo da leitura do periódico diocesano A Imprensa, discute a representação das querelas textuais a partir dos conceitos de Nestor Garcia Canclini, sobre hibridismo cultural. Para tanto, lançamos mão da análise dos postulados elaborados pelos articulistas locais, tanto no tocante ao universo escolar confessional, quanto dos intelectuais secularistas. Estes últimos a partir de Fernando Catroga, que identifica-os enquanto intelectuais que defendem os signos da religião civil, nos regimes republicanos. Catolicismo, Instrução Confessional, Secularização

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ramsés Nunes e Silva, UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

Doutor em História da Educação, Professor Adjunto do departamento de história (UEPB, Campus i-Campina Grande).

Downloads

Publicado

2018-03-27

Como Citar

SILVA, R. N. e. PROTAGONISMOS, MILITÂNCIAS E QUERELAS INSTRUCIONAIS NA TRINCHEIRA RELIGIOSA: COMBATES PELA ESCOLA CATÓLICA NA PARAHYBA DO NORTE (1894-1922). Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 36, n. 36, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2017v36n36.28247. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/28247. Acesso em: 24 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê