"A guerra não acabou": a escrita e a disputa do passado sobre a luta armada no Araguaia através das memórias dos militares

Autores

  • Wellington Sampaio da Silva Instituto Federal do Tocantins - Campus Araguaína

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.36868

Palavras-chave:

Disputa pelo passado, Militares, Livros

Resumo

O presente artigo faz uma reflexão acerca da construção das memórias dos militares que atuaram de forma direta e/ou indireta no conflito armado no Araguaia na década de 1970. Conflito este nomeado tanto pelas esquerdas quanto pelos militares como “Guerrilha do Araguaia”. Através da publicação de livros, alguns militares vêm tornando pública as suas versões para esse acontecimento da história contemporânea do Brasil, e, com essa prática, provocando uma disputa em torno das memórias desse conflito que envolveu diversos sujeitos: militantes do Partido Comunista do Brasil (PC do B), militares e moradores da região. Nesse sentido, partimos da ideia que embora a guerra tenha sido concluída no final de 1974, a construção de suas memórias, em especial, através da escrita e publicação de livros, tem evidenciado uma continuidade dessa guerra, não mais pelas armas, mas através das narrativas constantes nesses livros até os dias atuais. O artigo busca discutir as disputas pelo passado da luta armada no Araguaia a partir da narrativa de três obras, escritas e publicadas por militares nos anos 2000.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wellington Sampaio da Silva, Instituto Federal do Tocantins - Campus Araguaína

Mestre em História pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), doutorando em História Social da Universidade Federal do Ceará (UFC) e Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal do Tocantins (IFTO-Campus Araguaína).

Downloads

Publicado

2018-12-17

Como Citar

SILVA, W. S. da. "A guerra não acabou": a escrita e a disputa do passado sobre a luta armada no Araguaia através das memórias dos militares. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 39, n. 39, p. 279–294, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.36868. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/36868. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: As ditaduras militares no Brasil e no Cone Sul: História, Historiografia e Memória