Verdade factual, mentira organizada e ditadura militar brasileira: alguns apontamentos a partir das reflexões de Hannah Arendt

Autores

  • João Teófilo Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.41106

Palavras-chave:

Ditadura militar, Verdade política, Hannah Arendt

Resumo

Tomando como base a discussão feita por Hannah Arendt em seu ensaio “Verdade e Política”, publicado em seu livro Entre o Passado e o Futuro, este artigo discute noções como verdade factual e mentira organizada para pensar a busca pela verdade relativa à ditadura militar implantada no Brasil com o golpe de 1964, bem como as representações construídas pela ditadura e ainda hoje sustentadas por segmentos de direita simpatizantes desse regime. Disputas de memória, mortos e desaparecidos políticos e Comissão Nacional da Verdade são alguns tópicos a partir dos quais busca-se uma problematização na tentativa de compreender qual seria a natureza dessa verdade em relação à ditadura e de que maneira este debate aconteceu em alguns momentos da história recente do país, inclusive em contexto mais atual. Busca-se também compreender como essa busca mobiliza debates historiográficos e como os historiadores podem ou não contribuir com comissões da verdade ou participar como testemunhas não oculares em julgamentos de violadores dos direitos humanos. A partir dessas questões, procura-se compreender a natureza da verdade que compõe a tríade “memória, verdade e justiça” como elementos constitutivos de um processo de Justiça de Transição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Teófilo, Universidade Federal de Minas Gerais

É mestre em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e doutorando em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). É membro do Núcleo de Estudos Culturais: História, Memória e Perspectiva de Presente, da PUC-SP, e do Laboratório de História do Tempo Presente, da UFMG. Atuou como pesquisador bolsista do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC/FGV-SP) e fez parte da Comissão Editorial da Revista Temporalidades (UFMG). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil República e História do Tempo Presente. Suas pesquisas concentram-se em questões relacionadas ao golpe de 1964 e ao regime militar, abordando temas como imprensa, memória e justiça de transição. Organizou a coletânea "A ditadura civil-militar em Sobral: aliança, 'subversão' e repressão" (2016). Atualmente, é colaborador permanente do site História da Ditadura (http://historiadaditadura.com.br/).

Downloads

Publicado

2018-12-17

Como Citar

TEÓFILO, J. Verdade factual, mentira organizada e ditadura militar brasileira: alguns apontamentos a partir das reflexões de Hannah Arendt. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 39, n. 39, p. 219–232, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.41106. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/41106. Acesso em: 21 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: As ditaduras militares no Brasil e no Cone Sul: História, Historiografia e Memória