O movimento estudantil em 1968 pelas lentes do Conselho de Segurança Nacional

Autores

  • Antonio Mauricio Freitas Brito Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.41129

Palavras-chave:

Movimento estudantil, Anticomunismo, Conselho de Segurança Nacional

Resumo

O artigo examina como o Conselho de Segurança Nacional avaliou o protesto estudantil no Brasil em 1968. Investiga os pronunciamentos dos seus membros em duas seções convocadas pelo Marechal Costa e Silva (Presidente da República) para discutir a crise política. Discorre sobre as principais interpretações dos Ministros e conselheiros sobre as lutas estudantis à luz das tensões e incertezas presentes no contexto. A percepção de como o Conselho avaliou o movimento estudantil ajuda a compreender aspectos da conjuntura de 1968 e das representações anticomunistas elaboradas sobre a juventude crítica ao regime no tempo da ditadura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Mauricio Freitas Brito, Universidade Federal da Bahia

Professor do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História Social da UFBA. Realiza estágio Pós-Doutoral no PPGH UFMG.

Downloads

Publicado

2018-12-17

Como Citar

BRITO, A. M. F. O movimento estudantil em 1968 pelas lentes do Conselho de Segurança Nacional. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 39, n. 39, p. 37–50, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.41129. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/41129. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: As ditaduras militares no Brasil e no Cone Sul: História, Historiografia e Memória