Corpos narrados nas memórias das ditaduras do Cone Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.41419

Palavras-chave:

Corpos, Emoções, Cone Sul, Ditaduras

Resumo

Este trabalho apresenta resultados de pesquisa que focaliza o uso do gênero e das emoções na retórica dos movimentos de resistência às Ditaduras nos países do Cone Sul (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai) a partir de uma perspectiva da História Cruzada. Nas entrevistas realizadas na pesquisa, bem como outras fontes como periódicos, autobiografias e memórias, depoimentos a comissões, entre outras, buscamos relatos sobre o corpo das e dos militantes políticos, usados nas imagens narradas para efetivar uma experiência partilhada com o/a leitor/a. Essa experiência, segundo Raymond Williams (1985), seria um tipo particular de consciência, distinto de “razão” ou “conhecimento”, ou seja, um tipo de consciência na qual as emoções e afetos devem ser levados em conta. E, certamente, o gênero nos ajuda também a ver importantes aspectos de como homens e mulheres lidam, diferentemente ou não, com essas experiências. Para além da experiência, corporificada tanto naquele que narra seu corpo, como naquela pessoa que escuta e que experimenta de outra maneira, muitas vezes também corporificada em lágrimas, arrepios, risos, e outros gestos, essas narrativas também tem agência política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Scheibe Wolff, Universidade Federal de Santa Catarina

Cristina Scheibe Wolff é pesquisadora 1D (CNPq), possui graduação em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (1988), mestrado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1991) e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (1998). Em 2004/2005 realizou pós-doutorado na Université Rennes 2, na França e entre 2010 e 2011, no Latin American Studies Center da University of Maryland, em College Park, Estados Unidos da América, ocupou a Cátedra Fulbright de Estudos Brasileiros na University of Massachussets em Amherst (set-dez 2017) e foi e pesquisadora convidada no Laboratoire Arenes - Université Rennes 2 (janeiro a julho 2018). Atualmente é professora titular do Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina. É integrante do Laboratório de Estudos de Gênero e História (LEGH) e do Instituto de Estudos de Gênero da UFSC e uma das coordenadoras editoriais da Revista Estudos Feministas (2006-2009 e 2011-atual). Foi Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina. Atua ainda no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas e no Mestrado Profissional de Ensino de História. Foi a coordenadora geral do Fazendo Gênero 11 e 13o. Women´s Worlds Congress, realizado na UFSC em 2017. Tem experiência na área de História, com ênfase em História das Mulheres e do Gênero, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, memória, guerrilha, resistência às ditaduras no Cone Sul.

Downloads

Publicado

2018-12-17

Como Citar

WOLFF, C. S. Corpos narrados nas memórias das ditaduras do Cone Sul. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 39, n. 39, p. 267–278, 2018. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2018v39n39.41419. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/41419. Acesso em: 17 jan. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: As ditaduras militares no Brasil e no Cone Sul: História, Historiografia e Memória