Narrativa jornalística e representações: A crise dos reféns do Irã através da Revista Veja (1979-1981)

Autores

  • David Anderson Zanoni Universidade de Passo Fundo

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.42139

Palavras-chave:

Dinâmica narrativa, Irã, Produção de Sentidos, Revista Veja

Resumo

O presente artigo procura discutir o uso da dinâmica narrativa seriada como elemento de persuasão ao público leitor. Para tanto, analisaram-se os eventos ocorridos em Teerã, capital do Irã entre 1979 e 1981, conhecido como “a crise dos reféns”, reportado pela revista brasileira Veja. Esse episódio insere-se no contexto pós-revolucionário iraniano, o qual proporcionou a ruptura governamental da autocracia do xá (imperador) Mohammed Reza Pahlevi ocasionando a ascensão de uma teocracia islâmica capitaneada pelo Aiatolá (autoridade religiosa islâmica) Rulloah Khomeini. A proposta, portanto, é observar como o periódico transpôs os eventos iranianos levando em consideração sua estratégia narrativa, a dinâmica jornalística utilizada para reportar o Irã no recorte temporal proposto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

David Anderson Zanoni, Universidade de Passo Fundo

Doutorando em História pelo Programa de Pós-graduação em História da Universidade de Passo Fundo-RS.

Downloads

Publicado

2019-07-06

Como Citar

ZANONI, D. A. Narrativa jornalística e representações: A crise dos reféns do Irã através da Revista Veja (1979-1981). Saeculum, [S. l.], n. 40, p. 329–350, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.42139. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/42139. Acesso em: 18 jun. 2024.