Práticas culturais entre descendentes de italianos em Irati (PR): história do tempo presente, memória e nostalgia

Autores

  • Regiane Maneira Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.44213

Palavras-chave:

Italianos, Tempo Presente, Memória, Nostalgia.

Resumo

A cidade de Irati, localizada no centro-sul do Estado do Paraná, nas primeiras décadas do século XX, recebeu um número significativo de descendentes de imigrantes italianos vindos de colônias próximas à Curitiba. Atraídos pela compra de terras na região para a prática da agricultura, esses grupos se instalaram em áreas rurais, nas quais muitas famílias permanecem até hoje. Atualmente, esses descendentes se organizaram e construíram, em 2016, um museu, “Casa dei Nonni”, que possui um acervo de objetos e fotos doados pelos próprios moradores. Nosso intuito nesse artigo é discutir como nossa pesquisa, sobre os descendentes de italianos e o museu, pode dialogar e receber contribuições da História do Tempo Presente, campo historiográfico que surgiu na França no contexto pós-Segunda Guerra Mundial. Também buscamos refletir sobre os conceitos de memória e nostalgia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regiane Maneira, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutoranda em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC. Professora na Secretaria de Educação do Estado do Paraná.

Downloads

Publicado

2019-07-06

Como Citar

MANEIRA, R. Práticas culturais entre descendentes de italianos em Irati (PR): história do tempo presente, memória e nostalgia. Saeculum, [S. l.], n. 40, p. 289–304, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.44213. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/44213. Acesso em: 18 jun. 2024.