A literatura de viagem e a representação do Brasil por estrangeiros no século XIX

Autores

  • Patrícia Vargas Lopes Araujo Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.44216

Palavras-chave:

Viajantes estrangeiros, relatos de viagem, paisagem, natureza.

Resumo

Os “viajantes estrangeiros” foram extremamente importantes na elaboração de representações sobre o Brasil e contribuíram para a fixação de imagens sobre a sociedade brasileira. Diferentemente dos séculos anteriores, o século XIX conhecerá um grande afluxo de estrangeiros para terras brasileiras. A expansão mercantilista dos países europeus, a importância dada ao conhecimento das ciências e o interesse por outras culturas motivaram inúmeras viagens pelo mundo. Esses estrangeiros se dirigiam ao Brasil com finalidades diversas, como, por exemplo, fazer negócios, abrir casas comerciais, explorar riquezas, conhecer o país. A imagem que elaboraram sobre o Brasil, sua população e natureza se constituiu pautada pela cultura letrada europeia, considerada civilizada. E dessa maneira seriam portadores de uma série de estereótipos sobre o Brasil. Pretendemos com essa análise refletir sobre as temáticas da paisagem e da natureza a partir das obras (pinturas e relatos) produzidas por estrangeiros durante suas viagens ao Brasil durante o século XIX, dando-se destaque a Jean-Baptiste Debret e Johann Moritz Rugendas. Procuramos, nesse sentido, compreender o papel ou importância dos viajantes face à elaboração e à difusão de representações sobre Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Vargas Lopes Araujo, Universidade Federal de Viçosa

Profa. Associada 1 do Departamento de História da Universidade Federal de Viçosa. Doutora em História pela Unicamp e Mestre em História pela UFMG. Pós-Doutorado pela Escola de Arquitetura da UFMG.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-07-06

Como Citar

ARAUJO, P. V. L. A literatura de viagem e a representação do Brasil por estrangeiros no século XIX. Saeculum, [S. l.], n. 40, p. 18–42, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2019v0n40.44216. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/44216. Acesso em: 18 jun. 2024.