Política indigenista amazônica e os meandros da justiça nas cartas de Pe. Antônio Vieira

Resumo

A partir dos discursos políticos de Pe. Antônio Vieira, pretendemos analisar a aplicação da justiça no arbítrio sobre as guerras justas contra os índios na Amazônia portuguesa seiscentista. As fontes analisadas no artigo – cartas e pareceres de Vieira – revelam a transposição do dispositivo legal à realidade social da colônia, evidenciando os conflitos jurisdicionais e o caráter casuísta da justiça. Serão discutidos os conteúdos teológico-jurídicos sobre os quais as disposições e o discurso vieiriano se assentavam, notadamente, no pensamento de Luís de Molina, importante jesuíta português da Segunda Escolástica. Mostraremos, enfim, os modos como se dava a circulação e recepção das ideias políticas e teológicas no vasto Império português durante a Época Moderna.

Biografia do Autor

Ludmila Gomides Freitas, Universidade do Estado de Minas Gerais

Possui bacharelado (2001) e mestrado (2006)) em História pela UNICAMP. Doutorou-se em 2014 em História Social pela UFU. Tem experiência na área de História, atuando principalmente nos seguintes temas: pensamento jurídico-teológico moderno, Padre Antônio Vieira, escravidão indígena, política e legislação indigenistas na América portuguesa. Atualmente, é professora do Departamento de História da UEMG - Unidade Divinópolis.

Publicado
2019-12-15
Como Citar
FREITAS, L. G. Política indigenista amazônica e os meandros da justiça nas cartas de Pe. Antônio Vieira. Sæculum – Revista de História, v. 24, n. 41, p. 48-63, 15 dez. 2019.