Sertão das “muié séria”? Convenções de gênero e rebeldia feminina em processos judiciais em Jacobina (BA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2019v24n41.47698

Resumo

Historicamente, as representações de gênero ligadas ao sertão foram perpassadas por estereótipos que associam o masculino aotrabalho duro, à virilidadee à valentia, enquantoo feminino é associado à ideia de submissão, seriedade edeserotização. A proposta do artigo é dialogar com algumas dessas representações que aparecem cristalizadas em manifestações culturais produzidas no Nordeste brasileiro, procurandoconfrontá-las com discursos e práticas que emergem da análise de fontes históricas específicas. A partir da análise de processos judiciais por crime contra os costumes e jornais do município de Jacobina, na Bahia, nas décadas de 1940 e 1950, foi possível observar que, embora os valores patriarcais fossem predominantes nos discursos, eles foram constantemente subvertidos nas vivências cotidianas de homens e mulheres sertanejos/as. Destaca-se que o binarismo de gênero, que instituiu uma rígida oposição entrehomens e mulheres, embora seja tradicionalmente associado à uma visão de mundo “atrasada”,típica de sociabilidades rurais, foi construído e legitimado a partir de um projeto de modernidade conservadora, embasado pela ciência europeia. Tal projeto instituiu o casamento como norma e justificou o aprisionamento do sexo ao casamento. Em Jacobina, a divulgação desse ideal se deu justamente em um período de grande desenvolvimento econômico, devido à redescoberta do ouro no município. Nesse contexto emergiu um projeto de higienização e policiamento dos costumes, que associava um ideal de modernidade ao de moralidade. Na contramão desse projeto, que reforçava o ideal de pureza feminina e conjugalidade normativa, moças jacobinenses, ousaram desafiar a autoridade paterna e viveram seus desejos, sem se deixaremaprisionar pelo modelo de feminilidade casta,doce e resignada propagadopelas camadas dominantes e relativamente compartilhado em seu meio social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Mara Pereira Vasconcelos, Universidade do Estado da Bahia

Professora da Área de História da Universidade do Estado da Bahia - UNEB - Campus V - Santo Antonio de Jesus - BA; Doutora em História pela Universidade Federal Fluminense - UFF, pesquisadora das temáticas de Gênero e sexualidade

Downloads

Publicado

2019-12-15

Como Citar

VASCONCELOS, T. M. P. Sertão das “muié séria”? Convenções de gênero e rebeldia feminina em processos judiciais em Jacobina (BA). Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 24, n. 41, p. 318–334, 2019. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2019v24n41.47698. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/47698. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê: Mulheres, gênero e sertanidades