Ensaio sobre diversidade historiográfica: como escrever (e reconhecer) histórias dos sertões a partir de novas e “velhas” epistemologias

Resumo

O presente artigo, escrito na forma de ensaio, discute questões teóricas e historiográficas relativas à proposta de se estabelecer a História dos Sertões como uma área específica de estudos, concebida por meio de um diálogo aberto e crítico com as demais perspectivas que tematizaram os sertões nos diferentes campos de conhecimento das Humanidades ao longo do tempo, no Brasil e no exterior. Considerando a necessária atenção à pluralidade histórica e semântica do conceito de “sertão” e seus correlatos em idiomas estrangeiros, o artigo estuda a questão do impacto das formas limitadas de história possíveis diante da imposição de um ponto de vista europeu. O artigo propõe um breve encontro entre tal ponto de vista (denominado como eurocentrismo) e as proposições de alguns estudiosos ligados aos chamados estudos pós-coloniais e estudos subalternos e pondera sobre a possibilidade de uma área de investigação dedicada à história e historiografia dos sertões organizada através da sistematização dos estudos dispersos sobre o assunto e, sobretudo, do trabalho com o conceito de sertão como ferramenta para a construção de historiografias brasileiras e americanas mais diversas e plurais. De modo geral, a pesquisa procura examinar as dimensões políticas, sociais e intelectuais de um conceito que se articula aos principais debates que compõem o âmbito historiográfico contemporâneo no que diz respeito, por exemplo, às relações entre natureza e cultura, à problemática das chamadas novas e “velhas” espacialidades (o nacional, o regional, o global etc.) e à colonialidade do poder.

Biografia do Autor

Evandro dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Possui graduação (2006) e mestrado (2009) em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutorado (2014) em História pela mesma instituição, com estágio PDSE na Universidade de Coimbra (com supervisão de Fernando Catroga). Tem experiência na área de História, com ênfase em historiografia brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: escrita da história, biografia, obra de Francisco Adolfo de Varnhagen, teoria da história; historiografia; história do brasil e ética na história. Dedica-se, ainda, aos estudos relacionados à história dos sertões, em particular, obra de Oswaldo Lamartine de Faria. Atualmente é professor adjunto de Teoria e Metodologia da História no Departamento de História do CERES e do Programa de Pós-Graduação em História dos Sertões do CERES da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (CERES-UFRN).
Publicado
2019-12-15
Como Citar
SANTOS, E. DOS. Ensaio sobre diversidade historiográfica: como escrever (e reconhecer) histórias dos sertões a partir de novas e “velhas” epistemologias. Sæculum – Revista de História, v. 24, n. 41, p. 441-452, 15 dez. 2019.
Seção
Dossiê: Mulheres, gênero e sertanidades