Lugares de escuta e de acolhimento nas pesquisas sobre sertanidades

Resumo

Este texto se propõe a mapear o surgimento de um campo de estudos que vem se consolidando a partir de pesquisas individuais e pontuais que tratam das relações entre gênero, história das mulheres e sertanidades. Em 2018 foi criado o grupo de pesquisa ProjetAH,reunindo professoras e estudantes de universidades diversas que atuam no campo acadêmico e/ou em movimentos relacionados com a temática. O grupo passou a se constituir como um “lugar de escuta” de histórias e da produção de memórias de mulheres e da população LGBTQI+. O campo de estudos sobre gênero, mulheres e sertanidades entra em diálogo com as teorias pós/decoloniais, assim como incorpora o conceito de interseccionalidades, dando visibilidade a sujeitas/os ausentes de uma historiografia que tradicionalmente não considera sujeitos em situação de margem, que vivem em territorialidades sertanejas.

Biografia do Autor

Ana Maria Veiga, Universidade Federal da Paraíba
Departamento de História da UFPB. Área de Teoria da História. Interesses: Estudos pós-coloniais e descoloniais, Gênero e interseccionalidades, Cinema e imagens, História do Brasil e da América Latina.
Vânia Nara Pereira Vasconcelos, Universidade do Estado da Bahia

...

Publicado
2019-12-15
Como Citar
VEIGA, A. M.; PEREIRA VASCONCELOS, V. N. Lugares de escuta e de acolhimento nas pesquisas sobre sertanidades. Sæculum – Revista de História, v. 24, n. 41, p. 196-203, 15 dez. 2019.
Seção
Dossiê: Mulheres, gênero e sertanidades