Franklin Joaquim Cascaes

Do desejo de saber à representação do ser

Autores

  • Maria Bernardete Ramos Flores Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n44.55829

Palavras-chave:

Arte, Folclore, Imagem, Representação

Resumo

Franklin Cascaes, nascido em 1908, ressentia-se a cada novo impacto destruidor do antigo ambiente natural e cultural provocado pela modernização da Ilha de Santa Catarina. Como folclorista, percorreu as comunidades de lavradores e pescadores, registrando o que sobrava da tradição em práticas sobreviventes ou na memória. Como artista autodidata, verteu em formas de arte suas investigações, misturadas à sua própria imaginação, suas fantasias e vivências de homem do lugar. O artigo trata de abordar dois escopos de imagens criadas pelo artista folclorista: esculturas para representar atividades do cotidiano; desenhos pelos quais inventava iconografias para entes fantásticos. Nessa seleção de imagens, tomadas em sua dinâmica performática, mostra-se que Cascaes, afetado por uma consciência histórica moderna, criou representações para seu mundo perdido, movido pelo sonho de que elas pudessem substituir as coisas de outrora. Por fim, com base nas reflexões do historiador e filósofo neerlandês Frank Ankersmit, mostram-se aproximações entre a prática desse artista folclorista com a história. As imagens produzidas pela arte de Franklin Cascaes, com a pretensão de ser “presença”, de se “apresentar”, no lugar daquilo queé representado, cria um parentesco com uma discussão historiográfica atual: deseja-se uma escrita da história que produza uma sensação de proximidade com o passado, que produza efeitos de presença, de encontro sinestésico do historiador e do seu leitor com as coisas de outrora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Bernardete Ramos Flores, Universidade Federal de Santa Catarina

Maria Bernardete Ramos Flores é Professora Titular Aposentada do Departamento de História da UFSC. Pesquisadora do CNPq 1B. Dedica-se à pesquisa de História e Arte, Modernidade e Estética, Teoria da Imagem e Teoria da História. Atua na Linha de Pesquisa História da Historiografia, Arte, Memória e Patrimônio, do Programa de Pós-Graduação em História da UFSC.

Referências

CASCAES, Franklin. Pasta 4, Folha avulsa 150; 219, 1972. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Pasta 9, Folha avulsa 237; 251, 1975 Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Caderno 60, s.d. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Caderno 102, 1977. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Caderno 16, 1972. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Caderno 18, 1967. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Caderno 78, 1972. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Cascaes. Caderno 99, s.d. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

CASCAES, Franklin. Cascaes. Cascaes, Caderno 86, 1962. Coleção Etnográfica Elizabeth Pavan Cascaes. MArquE.

ALLOA, Emmanuel (Org.). Pensar a imagem. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

ANKERSMIT, Frank R. Historia y Tropología. Ascenso y caída de la metáfora. Trad. Ricardo M. R. Ruiz. México: Fondo de Cultura Económica, 2004.

ANKERSMIT, Frank. Experiência histórica sublime. Trad. Luis Guerneau de Mussy. Santiago de Chile: Editorial Palinodia, 2008.

ARAUJO, Adalice Maria de. Mito e magia na arte catarinense. Tese (concurso para Professor Titular). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1977.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BREDEKAMP, Horst. Teoria do Acto Icónico. Trad. Artur Morão. Lisboa: KKYM, 2015.

CAILLOIS, Roger. El mito y el hombre. Trad. Jorge Ferreiro. (1. ed. em francês 1938). México: Fondo de Cultura Económica. 1993.

CASCAES, Franklin J. Vida e arte. Entrevistas concedidas e textos organizados por Raimundo Caruso. 2. ed. Florianópolis, Ed. Da UFSC, 1989.

CASCAES, Franklin J. In: Luz, J. L. Transcrição de entrevista de Franklin Joaquin Cascaes a Gelci José Coelho. 1996. (Relatório de Estágio). Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciência da educação. Departamento de Metodologia de Ensino. Prática de Ensino de História. Florianópolis, 1996.

CASTELLANO, Cristina. Breves notas sobre a biografia de uma coleção. In: GRAIPEL Jr., Hermes J. Franklin Cascaes: outros olhares. Florianópolis: Fundação Franklin Cascaes, 2011, p. 87-116.

FELLINI, Federico. Entrevista dada a Soler Serrano, 1977. Disponível em: www.youtube.com/watch?v=Fq5RgbT0N70 Acesso em: 14 jan. 2020.

FREUD, Sigmund. O inquietante. FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 16. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011, p. 218-376.

GHIZONI, Vanilde Rohling. Conservação-restauração das esculturas de Franklin Joaquin Cascaes. In: GRAIPEL Jr., Hermes J. Franklin Cascaes: outros olhares. Florianópolis: Fundação Franklin Cascaes, 2011, p. 117-138.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Em 1926. Vivendo no limite do tempo. Trad. Luciano Trigo. Rio de Janeiro / São Paulo: Editora Record. 1999.

GUMBRECHET, Hans Ulrich. Produção de Presença. O que o sentido não consegue transmitir. Trad. Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto / PUC, 2010.

HUIZINGA, Johan. El concepto de la historia. Trad. Wenceslao Roces. México: Fondo de Cultura Económica, 1946.

HUIZINGA, Jonh. Entre las sombras del mañana. Diagnóstico de la enfermedad cultural de nuestro tiempo. Trad. María de Meyere. Barcelona: Ediciones Península, 2007.

LÉVY-BRUHL, Lucien. La mentalidad primitiva. Traducción de Gregorio Weiberg. Buenos Aires: Ediciones Leviatán, 1957.

LOHN, Reinaldo Lindolfo. Pontes para o futuro: relações de poder e cultura urbana. Florianópolis, 1950-1970. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História, 2002.

MATOS, Olgária. Vestígios. São Paulo: Palas Athena, 1998.

SCHUTEL, Duarte. A República vista do meu canto. Florianópolis: IHGSC, 2002.

SOUZA, Evandro André de. Franklin Cascaes: uma cultura em transe. Dissertação (Mestrado em História). 2000. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

TIEDEMANN, Rolf. Introdução à edição alemã. BENJAMIN, Walter. Passagens. Trad. Irene Aron. Belo Horizonte: Editora UFMG; São Paulo; Imprensa Oficial, 2006.

TONERA, Roberto. Fortalezas Multimídia. Florianópolis: Editora da UFSC, Projeto Fortalezas Multimídia, 2001 (CD-ROM).

Downloads

Publicado

2021-07-29

Como Citar

FLORES, M. B. R. Franklin Joaquim Cascaes: Do desejo de saber à representação do ser. Sæculum – Revista de História, [S. l.], v. 26, n. 44, p. 10–29, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2317-6725.2021v26n44.55829. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/srh/article/view/55829. Acesso em: 17 set. 2021.